5 erros comuns da língua francesa que você consegue evitar

frances

Dominar uma língua estrangeira é tudo de bom. Você aproveita melhor uma viagem e também sai na frente no mercado de trabalho.

O francês leva umas vantagens sobre os “concorrentes”: soa romântico, tem mais de 130 milhões de falantes e é idioma oficial em cerca de 30 países, como França, Bélgica, Suíça e Canadá.

Mas nem tudo é festa (la vie n’est pas toujours rose), já que existem os falsos cognatos, que, em francês, eles chamam de “falsos amigos” (faux amis).

O que é cognato? É uma palavra parecida com outra, mas com significado diferente. Ou seja, na hora de gastar seu francês, se você não tiver estudado direitinho, pode passar vexame (vous pouvez être mal barré). Por exemplo:

  1. Se alguém diz para você parar de faire du chichi, não pense bobagem. A pessoa só quer que você pare de fazer frescura!
  2. Um amigo seu francês diz: j’adore les chatons. Não pense que ele gosta de pessoas maçantes. Chaton, em francês, é o mesmo que gatinho. Ou seja, seu amigo adora gatos.
  3. A palavra baiser significa beijo, em francês, mas só quando ela aparece como substantivo: Je t’envoie beaucoup de baisers quer dizer mando-lhe muitos beijos. Se baiser é usada como verbo, a coisa fica mais apimentada: é sinônimo de praticar o ato sexual, já que o verbo beijar, em francês, é embrasser.
  4. Um erro comum é pensar que o advérbio pourtant, em francês, corresponde ao nosso portanto. O sentido é justamente o contrário: pourtant marca oposição, equivale a no entanto, contudo.
  5. Todo mundo que começa a aprender francês confunde a palavra maman com mamão. Na verdade, maman é igual a mamãe. Já a fruta mamão se escreve papaye.

Veja também!

Comentários

Comentários