Data centre worker with tablet computer
Certificações em Tecnologia: a área de Redes é uma das possibilidades de formação.

Você sabia que investir nas certificações em tecnologia é um ótimo caminho para dar um upgrade na sua carreira?

Manter-se atualizado é um importante diferencial em muitas áreas de atuação. Algumas, porém, são tão dinâmicas que a busca por aprendizados e aperfeiçoamento constante é quase uma necessidade básica. O mercado de TI é um exemplo disso.

Em um cenário de expansão – somos o maior mercado de TI da América Latina, com crescimento de 7,6% ao ano, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) –, obter uma ou mais certificações pode levar o profissional de TI a alçar voos mais altos e conquistar a oportunidade dos sonhos.

 

Por que investir nas certificações em tecnologia? Veja 5 benefícios

 

Image of a man with a tablet in his hands. He presses on the icon graduation hat cap. Online education concept, choose of career.
Certificações em Tecnologia: razões para incrementar o seu currículo.

 

A certificação é um documento que atesta que o profissional tem proficiência em determinada tecnologia ou produto da área de TI.

Em outras palavras, ele é submetido a uma ou mais provas e, se for aprovado, obtém um certificado comprovando que, de fato, possui bons conhecimentos sobre aquele assunto – geralmente emitido pela própria empresa que desenvolve e mantém a tecnologia em questão.

Quer entender por que as certificações são tão importantes para os profissionais de TI?

Veja algumas razões para investir nesse tipo de formação:


1 – Melhorar o currículo

Destacar-se em meio à multidão de pessoas buscando oportunidades no mercado é um dos principais motivos que levam os profissionais a obter certificações.

Essa diferenciação do currículo pode gerar mais visibilidade em um processo seletivo. Entre candidatos com e sem o documento, é bem provável que o profissional certificado tenha mais chances de conseguir uma vaga de trabalho.

De forma geral, as empresas enxergam a certificação com bons olhos não apenas pelo conhecimento técnico que atesta. Ela também demonstra que o profissional é comprometido e interessado no seu próprio desenvolvimento.

 

2 – Adquirir conhecimentos práticos

A conquista de uma certificação não é simples: demanda muito tempo de estudo e dedicação. Ainda que muitas vezes o foco seja apenas passar na prova, todo conhecimento adquirido ao longo desse processo torna o profissional mais bem preparado para lidar com os desafios que possivelmente enfrentará no dia a dia de trabalho.

Seja em um curso ou aprendendo por conta própria, geralmente o estudo para as provas é estruturado e orientado por tópicos requisitados pela própria certificação. Daqui a pouco, falaremos mais sobre essa preparação.

 

3 – Ganhar mais

Um profissional certificado tem mais valor de mercado e, com isso, mais chances de ser bem remunerado. Não é regra, mas algumas empresas pagam um salário maior para quem é certificado na comparação com colegas sem o documento.

 

4 – Crescer na carreira

Se a ideia é ser promovido, as certificações podem ajudar a conseguir esse upgrade na carreira. Um exemplo: um profissional considerado júnior, ao obter uma certificação, eventualmente passa a ser classificado como pleno.

 

5 – Facilitar a contratação

Aqui o benefício é para as empresas. Quando o candidato tem certificações condizentes com as necessidades da vaga e da empresa, o processo de contratação é simplificado, pois a princípio não será preciso testar a capacidade técnica do profissional.

 

Qualquer pessoa pode buscar certificações em TI?

 

Diploma on Seats
Certificações em Tecnologia: invista na sua carreira.

 

É preciso avaliar cada uma delas. Algumas certificações não têm nenhum pré-requisito, basta passar na prova. Outras exigem que o interessado também tenha algum conhecimento prévio ou já atue certo tempo na área.

Há ainda os casos em que o profissional precisa ter uma determinada certificação antes de buscar a próxima. As certificações Linux LPI, por exemplo, têm três níveis e devem ser obtidas em sequência – não dá para conseguir a LPIC2 sem ter a LPIC1.

 

Preparação para as provas

O nível de exigência costuma ser alto. Para ser aprovado e obter uma certificação, como já falamos, o profissional precisa de muita dedicação aos estudos. Por quanto tempo? Isso varia. Algumas provas demandam poucas semanas de estudo, enquanto outras levam mais de um ano de preparação diária.

Esses estudos podem incluir:

– leitura de textos e livros;
– práticas de codificação ou configurações em máquina;
– simulados periódicos para avaliar o nível de conhecimento;
– cursos presenciais voltados à certificação desejada (ministrados por centros educacionais credenciados pelas empresas desenvolvedoras).

Além de tempo, há um outro tipo de investimento bastante significativo: dinheiro. As certificações de forma geral custam caro e apenas algumas permitem que o candidato tenha uma segunda chance caso não seja aprovado na primeira tentativa. Para não sair no prejuízo, é importante investir em uma boa preparação.


Graduação ou certificação?

Essa dúvida é bastante comum. Sempre vale analisar cada situação individualmente, mas, de forma geral, ambas têm sua importância.

As certificações são complementos à graduação. O curso superior trabalha os alicerces da tecnologia, como teoria computacional, padrões de desenvolvimento, arquiteturas e plataformas, métodos de pesquisa e projetos. Por outro lado, não se aprofunda em tecnologias e produtos usados no mercado – uma lacuna preenchida pelas certificações.

 

 Certificações mais reconhecidas pelo mercado

 

Computer crime concept
Certificações em Tecnologia: grandes empresas promovem certificações.

 

Estima-se que até hoje tenham sido criadas mais de 1.900 certificações em diferentes áreas de TI, mas apenas uma parte delas é relevante no mercado – geralmente as oferecidas pelas grandes empresas, como Cisco, Furukawa, Microsoft, Oracle, Linux, PMI, etc.

Conheça os cursos de algumas delas:

Cisco:
Formação Cisco CCENT
CCNA R&S 5.0 – 1 introduction to networks

Furukawa:
FCP – Furukawa Certified Professional
Furukawa Certified Professional Fibras Ópticas

Microsoft:
Formação MCSA – Windows Server 2012
Formação MCSE – infraestrutura de servidor

Oracle:
Formação Oracle Certified Associate – OCA DBA 11g
Formação Oracle Certified Professional – OCP DBA 11g

Linux:
Certificação Linux LPI Nível 1 – LPIC1
Certificação Linux LPI Nível 2 – LPIC2

PMI:
Gerência de Projetos – preparação para a certificação PMP
Gerência de Projetos – práticas alinhadas ao PMI

 

Para finalizar, uma dica: antes de escolher em que certificação investir, pesquise o que está em alta no mercado dentro da sua área de atuação. Com uma formação mais completa, seu currículo será mais bem-visto e aumentam as chances de conquistar boas oportunidades.

Certifique-se! E boa sorte na sua trajetória.

Colaboração:
Fábio dos Reis, docente do Senac Lapa Tito.


Comentários

Comentários