World of videogames
Criação de Games: oportunidades de trabalho e formação

 

Se você gosta muito de jogos, é uma pessoa curiosa e se interessa por desafios, a área de criação de games pode ser uma ótima escolha profissional.

Mas ser um autêntico Geek* não é o suficiente para se dar bem nessa área promissora, que movimenta no Brasil cerca de US$ 1,5 bilhão ao ano.

Você sabia que o nosso país é o principal mercado de jogos digitais na América Latina, sendo responsável por 35% de todo o lucro do setor?

Uma pesquisa do SuperData Research mostra que o consumo de jogos eletrônicos no Brasil só perde para os Estados Unidos, o Japão e a China.

Com dados tão positivos, você deve estar animado para conhecer as possibilidades de atuação no mundo dos games, não é?

Mas, antes de se lançar nesse mercado, é importante conhecer mais detalhes sobre:

– o perfil do profissional da área;
– as funções e oportunidades de trabalho;
–  as possibilidades de formação.


Saiba mais:
*Geek – termo utilizado para definir pessoas que são fãs de tecnologia, games ou jogos de tabuleiro, histórias em quadrinhos, livros, filmes, animes e séries.

 

O que um profissional da área de games precisa desenvolver para se dar bem na carreira?

 

Lot of different kind of gaming accessories.
Criação de Games: conheça o perfil profissional da área

 

Para trabalhar na área de criação de games, não basta gostar de jogos eletrônicos ou de novas tecnologias. Para construir uma carreira de sucesso, é preciso desenvolver algumas qualidades essenciais como:

– boa comunicação e capacidade de trabalhar em equipe (independentemente do porte da empresa, é preciso trocar ideias, explicar e documentar os processos de produção);

– criatividade e curiosidade;

– saber lidar com sugestões e críticas (de colegas, do público e do contratante);

– gostar de estudar e acompanhar as novidades tecnológicas do setor.

Outro diferencial para se destacar nesse mercado: ter conhecimentos em mais de uma área envolvida no processo de desenvolvimento de jogos (exemplo: um designer de games que tenha noções básicas de lógica de programação).

Saiba que essa multidisciplinaridade não só facilita a interação com outros profissionais nas etapas do processo como também pode fazer toda a diferença para o sucesso de um projeto em estúdios menores e em produções independentes.


Criação de games: oportunidades para construir uma carreira

 

Businessman wearing vr headset for laptop at business meeting. Virtual development business team working on augmented reality improvement, future computer technology for business concept
A área de criação de games e suas múltiplas formas de atuação

 

Na área de criação de games, como já dito, nem sempre as funções são tão bem delimitadas. Por outro lado, quanto mais diversa for a equipe, mais rico será o resultado do trabalho.

Em empresas pequenas ou em produções independentes, é bem comum um profissional desempenhar mais de uma atividade.

Conheça algumas das funções da área de criação de games:

– designer de games (cria as regras e ideias do jogo);
– programador (transforma as ideias em códigos);
– ilustrador/artista gráfico (cuida da parte visual);
– produtor musical (desenvolve a trilha sonora);
– produtor (gerencia equipes, prazos e orçamento);
– testador (avalia a jogabilidade e procura erros);
– redator (corrige falhas na história e escreve materiais de divulgação);
– tradutor (adapta jogos de língua estrangeira).

 

Onde encontrar oportunidades de trabalho?

 

Two Boys Playing With Game Console
Onde vou buscar oportunidades na área criação de games?

 

De forma geral, o profissional pode atuar:

– em estúdios de desenvolvimento de jogos;
– em projetos de agências de publicidade;
– de modo independente, disponibilizando games em lojas de aplicativos.

No Brasil, boa parte do mercado de games se concentra em São Paulo.

Acesse uma lista completa de empresas do setor na página da Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames).

 

 Jogos eletrônicos utilizados em diferentes áreas!

 

Happy Senior Couple Play Video Game with Remotes
Você sabia que a área de criação de games vai muito além do entretenimento?

 

Além dos jogos criados para diversão, há outros campos que se beneficiam da tecnologia dos games.

Conhecidos como jogos sérios (ou serious games), eles já desempenham um papel importante em diferentes contextos, principalmente em treinamentos para facilitar o processo de aprendizagem.

Nesses games, os usuários são estimulados a acessar conteúdos de forma bem mais descontraída e interativa do que nos formatos tradicionais.

Conheça alguns exemplos:

– na educação (como ferramenta de ensino – muito utilizada em educação a distância);

– em formação profissional (muitas empresas usam os games para treinar seus funcionários);

– na área da saúde (desde o treinamento de médicos e enfermeiros até o apoio a pacientes em processo de reabilitação motora);

– em simulações (com representação de atividades da vida real – utilizada por militares e pilotos, por exemplo);

– em campanhas de conscientização ou publicitárias.

A necessidade por esse tipo de jogo existe, mas, principalmente no segmento da saúde, boa parte é desenvolvida em pesquisas acadêmicas e raramente fica disponível para o uso de clínicas ou de profissionais da área. Ou seja, é um mercado pouco explorado e tem alto potencial.

  

Qual a melhor formação na área de games? Por onde começar?

 

Young developers testing virtual reality glasses in office
Criação de games: muitas possibilidades de formação

 

Como você percebeu, o profissional que trabalha na área de criação de games pode se especializar em diferentes fases da construção de um jogo eletrônico.

Assim, a escolha de quais cursos buscar dependerá do caminho que você pretende trilhar:

– atuar no desenvolvimento de sistemas (criação e programação);

– atuar na área de computação gráfica (modelagem para games, animação, produção ou pós-produção).


Dê o primeiro passo!

E aí, está convencido de que criação de games tem tudo a ver contigo?

Uma boa dica para dar os primeiros passos na área de games é identificar em qual parte do processo de criação de games você tem mais afinidade, e daí sim buscar bons cursos e formações.

Dicas para facilitar essa escolha:

– pesquise sobre a produção de jogos. Alguns desenvolvedores falam sobre esse processo na internet;

–  participe de eventos do segmento, como o BIG Festival – Brazil’s independent games festival e o SBGames – simpósio brasileiro de games e entretenimento digital. São oportunidades de conhecer quem já trabalha na área e os desafios que eles enfrentaram, além de começar seu networking.

Fique tranquilo!

Saiba que há muitas possibilidades de formação para quem quer entrar na área de criação de games – desde cursos livres, passando pelos técnicos, de graduação e até de especialização (pós-graduação e extensão universitária).


Alguns exemplos de cursos mais focados na área de games:


Curso livre:
Games 2D – criando seu primeiro jogo

Cursos técnicos:
Técnico em Programação de Jogos Digitais
Criação e Produção de Animações e Webgames

Curso de graduação: Tecnologia em Jogos Digitais
Curso de pós-graduação: Games: produção e programação
Curso de extensão universitária: Arte 3D para Games

Independentemente da sua trajetória de capacitação, siga uma regra simples: nunca pare de estudar, se atualizar e buscar novos conhecimentos.

A área de tecnologia da informação é superdinâmica e exige dedicação e formação contínua de qualquer profissional.

Boa sorte na sua carreira!

Colaboração:
Renan Vinicius Aranha, docente do Senac Lapa Scipião.


Comentários

Comentários