Conheça 5 passos para montar um excelente orçamento de fotografia

Acesse um guia completo com tudo o que você precisa saber para chegar ao valor ideal e ter mais chances de fechar o negócio.

Montar um orçamento de fotografia é sempre um desafio para os profissionais da área.
Montar um orçamento de fotografia é sempre um desafio para os profissionais da área.

Você tem dificuldades para montar um orçamento de fotografia?

Trata-se de um trabalho bastante complexo: é preciso administrar a realidade e as expectativas do cliente, os valores praticados pelo mercado e as suas próprias necessidades como fotógrafo profissional.

Neste processo, existem dois erros muito comuns: cobrar muito abaixo ou muito acima do valor necessário.

Em ambos os casos, o profissional pode sofrer prejuízo ou ficar com a credibilidade comprometida, além de se tornar uma referência negativa para o mercado.

Preparamos um guia completo para que você não esqueça nenhum detalhe e garanta sempre um orçamento de fotografia claro, justo e confiável. Confira!

 

Monte um orçamento de fotografia em 5 passos!

 

1º Passo: 

Identifique as necessidades do cliente

Ao montar um orçamento de fotografia é sempre importante entender a necessidade do cliente.
Um orçamento de fotografia começa entendendo as necessidades do seu cliente.

Ao montar um orçamento de fotografia é sempre importante entender a necessidade do cliente. Um orçamento nunca é exatamente igual ao outro: cada cliente tem necessidades específicas. 

Por isso, em um primeiro contato, é preciso fazer algumas perguntas básicas:

 

Qual o tipo de serviço?  Fotografia social, fotografia de espetáculos,
ensaio fotográfico
, etc.
Quanto tempo durará a sessão de fotografia/evento?

Quantas imagens deverão ser tratadas?
Onde ocorrerá o trabalho? Há infraestrutura suficiente?
Será durante o dia ou à noite?
Requer equipamentos especiais de iluminação?
Será necessário alugar um estúdio, por exemplo?
Esse estúdio já possui todos os itens de iluminação ou
ficará sob responsabilidade do fotógrafo consegui-los?
Será preciso a contratação de um cabeleireiro e/ou maquiador?
Haverá estacionamento no local?
Será necessário fazer alimentação no local?
Quem arcará com as despesas com alimentação e estacionamento?
Será preciso viajar?
 
Haverá a necessidade de assistentes? Quantos?
Em quais formatos esse trabalho deverá ser entregue?
Pendrive, CD, DVD, por e-mail, Wetransfer ou álbum físico?

 

Sanadas todas essas dúvidas, o fotógrafo terá uma estimativa de tempo, equipamentos e auxiliares necessários para a realização do serviço.

 

 

2º Passo:

Estime seus custos corretamente

 

Orçamento de fotografia: estimar os custos de produção garante a viabilidade das propostas de prestação do serviço.
Orçamento de fotografia: estimar os custos de produção garante a viabilidade das propostas de prestação do serviço.

 

Um erro muito frequente em orçamentos de fotografia é o dimensionamento incorreto dos custos envolvidos na prestação do serviço.

Muitos detalhes costumam ser deixados de lado, tornando a atividade inviável a longo prazo. Para não errar, antes de determinar qualquer preço, leve em conta os seguintes fatores:

 

 

O valor da sua hora de trabalho

Qual será o custo total da mão de obra,
considerando o tempo necessário para fazer
as fotos e tratar as imagens?

 

Equipamentos

Quais serão utilizados?
Equipamentos mais caros exigem um orçamento maior.
Considere custos de depreciação, seguro de câmera, flashes e lentes.

 

Entrega das imagens ao cliente

Como foi combinada? Em CD, DVD, pendrive,
envio pela internet ou em um álbum fotográfico físico?

 


Auxiliares

Haverá a necessidade de auxiliares no momento de fazer as fotos?
Será preciso contratar cabeleireiro, maquiador, cozinheiro
(no caso de fotos de gastronomia), entre outros profissionais?

 

Transporte e Alimentação

Como serão calculadas as despesas de alimentação
e transporte de ida e volta até o local das fotos?


Estacionamento

O estacionamento é gratuito ou não?
Esses itens ficarão sob responsabilidade do
prestador de serviço ou do contratante?

 

Impostos

Não podem ser descartados, caso o fotógrafo tenha
empresa aberta ou trabalhe como Microempreendedor Individual (MEI).

 

Responsabilidade

É muito importante pesar a responsabilidade que o serviço requer.
Por exemplo: errar em um casamento, que não volta mais,
é muito mais desastroso do que errar em um still de produto, que pode ser refeito. Essa perspectiva ajudará a definir também o custo dos equipamentos de backup e providências extras necessárias.

 

Repercussão

Pense ainda na repercussão daquele trabalho, ou seja,
quanto o cliente lucrará a partir de suas fotos.
Se a perspectiva de lucro for alta, pode-se cobrar um pouco mais.

 


Networking

Qual o potencial desse trabalho para gerar uma boa rede de contatos e estimular o fechamento de outros contratos?
Se as perspectivas forem boas, pode-se cobrar um pouco menos.


Portfólio

Qual será a importância do trabalho
na constituição do portfólio do fotógrafo?
Se for alta, os custos podem ser
diluídos em outros trabalhos.

 

3º Passo:

Determine um preço compatível com o mercado

 

Orçamento de fotografia: estar atento às práticas comerciais do mercado em que atua é imprescindível.
Orçamento de fotografia: estar atento às práticas comerciais do mercado em que atua é imprescindível.

 

Até aqui, você identificou as necessidades do cliente e estimou seus custos para atendê-lo. Agora, é hora de determinar seu preço, tendo como base o quanto o mercado está cobrando por trabalhos similares.


Confira algumas dicas:

 


Não cobre menos que o necessário:
um dos principais erros nessa fase é fazer orçamentos abaixo do que cobra o mercado somente para “pegar o serviço”. Essa prática prejudica toda a categoria e o seu próprio
futuro como profissional.

 


Também não cobre caro demais:
Um erro comum é superdimensionar os custos do trabalho. Nunca esqueça de considerar a realidade do cliente ou da região de atuação.

 


Peça pagamento antecipado: uma boa sugestão é pedir um valor antecipado e programar o pagamento final para o dia da realização do serviço.
Esta prática evita muita dor de cabeça, principalmente em eventos cujos gastos gerais são mais altos. Nesse tipo de cobertura, o fotógrafo corre o risco de ter o seu pagamento adiado ou substituído por outra despesa.

 



Identifique a sua faixa de orçamento:
o mercado possui várias faixas de orçamento conforme o nível de cada fotógrafo.
Em geral, fotógrafos iniciantes cobram menos do que fotógrafos mais experientes e com equipamentos mais avançados.

 


Algumas perguntas ajudam a identificar quando você pode cobrar de acordo com faixas superiores:


  1. Suas fotos já têm uma “marca registrada”?
  2. Você já é referência no mercado?
  3. Possui fotos que já alçaram a condição de “fine-art”?
  4. Tem fotos premiadas em concursos gerais?
  5. Tem fotos premiadas em concursos específicos, na mesma
    categoria do trabalho a ser realizado?

 



Cuidado com os descontos para amigos e familiares:
se houver alguma relação de parentesco ou amizade com o cliente, talvez você aceite trabalhar com preços mais camaradas.
Nesse caso, atenção: não reduza demais o orçamento. Isso desvaloriza sua carreira e a própria profissão do fotógrafo, prejudicando todo o mercado.

 


 

4º Passo:

Prepare o orçamento de fotografia com informações e visual adequados

 

Orçamento de fotografia: o documento final deve ter uma estética agradável e conter o portfólio do profissional.
Orçamento de fotografia: o documento final deve ter uma estética agradável e conter o portfólio do profissional.

 

Apresentar um orçamento de fotografia feio, confuso ou mal redigido é o primeiro passo para NÃO fechar o negócio.

Afinal, como o cliente vai confiar as fotos do seu evento inesquecível a um fotógrafo que se expressa de maneira tão equivocada?

Para estimular uma resposta positiva, o orçamento precisa ser esteticamente agradável e conter as seguintes informações:

  • Um breve currículo do fotógrafo.
  • O logo do fotógrafo, para transmitir profissionalismo.
  • Todos os contatos de telefone, Whatsapp e e-mail do profissional.
  • Links para o site e redes sociais do fotógrafo ou da empresa.
  • Formas e prazos de pagamento (parcelamento via cartão de crédito pode ser determinante para o fechamento do negócio).
  • Selecione imagens de alguns trabalhos já realizados a fim de conquistar o cliente. Essas imagens podem ser anexadas no e-mail ou por meio de um link para o portfólio on-line, embora seja mais interessante fazer com que essas fotos já estejam no corpo do orçamento).
  • Destaque para os compromissos de cada uma das partes – contratante e contratado.
  • Data de validade do orçamento.
  • Apresentar com clareza todos os impostos e emissão de nota fiscal.

Considere também que o orçamento não precisa se restringir ao serviço solicitado. Você pode oferecer serviços complementares e pacotes promocionais.

Por exemplo: em um orçamento de fotografia para casamento, além das fotos do evento em si, é possível propor pacotes com as seguintes opções:

  • Making of da noiva: acompanhando toda a preparação para a cerimônia.
  • Ensaio pré-wedding: realizado antes do casamento, em lugar mais descontraído e importante para a história do casal.
  • Ensaio trash the dress: quando se faz um ensaio mais ousado, com fotos dentro do mar, no campo ou em uma floresta, por exemplo. Chama-se trash the dress devido à possibilidade de estragar o vestido da noiva – por isso, utiliza-se um modelo diferente, e normalmente mais barato, daquele utilizado na cerimônia.

 

 

5º Passo:

Envie o orçamento e gerencie o retorno

 

Orçamento de fotografia: fazer um acompanhamento da proposta e follow-up com o cliente são itens essenciais.

 

Com tantos detalhes, vale a pena gastar um certo tempo na preparação do orçamento de fotografia, colocando tudo direitinho no papel.

De nada adianta enviar o orçamento em poucos minutos e depois ter que fazer uma série de correções nele. Isso demonstra amadorismo.

Mas cuidado para não demorar demais: a agilidade no retorno pode ser determinante para se superar a concorrência. 

 

Como enviar o orçamento de fotografia? 

 

Para garantir a praticidade do processo, faça o envio eletronicamente (por e-mail ou Whatsapp, por exemplo) do arquivo em PDF ou DOC.

Não esqueça de pedir um retorno de recebimento para evitar desencontros.

Reforce que a cópia impressa será entregue pessoalmente, em uma conversa mais abrangente para sanar todas as dúvidas.

Coloque em destaque o prazo de validade do orçamento. Do contrário, o cliente pode exigir, por exemplo, que se cobre um valor acordado em janeiro para um evento que só ocorrerá em novembro, sem qualquer correção de inflação.

 

 

Como fazer o acompanhamento da proposta?

 

O follow-up deve ser feito com certo cuidado, dando tempo necessário para que cliente avalie o orçamento com tranquilidade.

Mas não deixe tudo correr livremente: o cliente pode não dar retorno e fechar com outro fotógrafo enquanto você está na expectativa.

Mas é importante lembrar o cliente de que o negócio precisa ser fechado com uma boa antecedência – alguns meses, preferencialmente.

Esse cuidado garante ao fotógrafo o tempo necessário para se programar e receber pagamentos parcelados. Demonstre respeito e um ar amistoso para que essa informação não soe impositiva.

Jamais faça críticas aos orçamentos de seus colegas apenas com o interesse de valorizar seu trabalho e vencer uma concorrência.

Seguindo essas dicas, você chegará ao orçamento de fotografia ideal: aquele que entende o mercado, valoriza o próprio trabalho, além de demonstrar profissionalismo e respeito ao cliente.

 

Colaboração:
Antonio Rogério Cazzali, docente de Fotografia do Senac São Bernardo do Campo

Comentários

Comentários