6 informações chocantes sobre o plástico no meio ambiente

Saiba como pequenas ações do dia a dia podem contribuir para reduzir a poluição desse material na natureza.

Plástico no meio ambiente: o plástico é um material cada vez mais presente na nossa rotina.
Plástico no meio ambiente: o plástico é um material cada vez mais presente na nossa rotina.

Você conhece os impactos dos objetos de plástico no meio ambiente?

O plástico está tão presente no nosso dia a dia que raramente paramos para pensar no quanto prejudicam a natureza.

Saiba que os efeitos dele podem ser muito piores do que imaginamos!

Por isso, em 2018, a ONU (Organização das Nações Unidas) iniciou um movimento de conscientização global.

Segundo a organização, a poluição causada pelo descarte de objetos de plástico é um dos grandes desafios da atualidade.

A primeira providência é alertar as pessoas sobre a gravidade do problema. Assim, selecionamos seis informações chocantes sobre o assunto com base em um estudo publicado pela renomada revista científica norte-americana Science.

 

6 informações chocantes sobre o plástico no meio ambiente

 

Plástico no meio ambiente: anualmente, 8 milhões de toneladas de plástico são descartados em nossos oceanos.
Plástico no meio ambiente: anualmente, 8 milhões de toneladas de plástico são descartados em nossos oceanos.

 

 

1. O plástico pode levar mais de 400 anos para se decompor.

 

Plástico no meio ambiente: canudos também são vilões.

Como boa parte do lixo produzido pelas pessoas demora muito para se decompor e não é destinado para reciclagem, o mundo vive hoje a falta de espaço em aterros sanitários.

Com isso, proliferam-se os lixões a céu aberto, contaminando a água dos rios e lençóis freáticos, o que compromete a nossa saúde.

Um levantamento da Abrelpe (Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública) realizado em 2017 mostra que o Brasil possui quase 3 mil lixões ou aterros irregulares — o que impacta a qualidade de vida de 77 milhões de brasileiros.

Em algumas regiões, a situação é alarmante. No Estado de Alagoas, por exemplo, 95% do lixo produzido pela população é abandonado em áreas inadequadas.

O plástico no meio ambiente também pode dificultar a decomposição de outros resíduos, reforçando ainda mais a superlotação dos aterros sanitários.

 

2. Até 2050, haverá mais plástico nos oceanos do que peixes.

 

Plásticos cada vez mais presentes na vida marinha.

 

A superlotação de aterros também produz outro fenômeno: o “depósito” de lixo no mar. Aproximadamente 8 milhões de toneladas de plástico são descartados em nossos oceanos anualmente, desequilibrando o ecossistema marinho de várias formas, como:

 

  • O plástico degrada-se em partículas menores, que são ingeridas por peixes e outros animais e aves marinhas. Sem capacidade de digestão, eles morrem de forma lenta e dolorosa.
  • Em grande quantidade no mar, o plástico impede a penetração de oxigênio nos sedimentos, comprometendo também o ciclo bioquímico da flora marinha.

 

3. O plástico é responsável pela morte de 100 mil animais marinhos a cada ano.

 

Que tal começar a pensar no impacto do plástico no meio ambiente?

 

O fenômeno é realmente preocupante: a morte por ingestão de plástico compromete o ciclo reprodutivo das espécies marinhas e estima-se que pelo menos 15% delas hoje estejam em extinção.

 

 

Só no caso das tartarugas marinhas, cinco das sete espécies catalogadas correm o risco de sumir dos oceanos, de acordo com levantamento da IUCN (União Internacional de Conservação da Natureza).

As aves marinhas, como pelicanos e albatrozes, também são vítimas desse fenômeno: até 2050, pelo menos 99% delas terão ingerido plástico.

 

4. 91% do plástico utilizado no mundo não é reciclado.

 

A reciclagem dos materiais plásticos ainda é insuficiente.

A produção em larga escala dos materiais sintéticos à base de plástico começou por volta dos anos 50.

Desde então, estima-se que em 65 anos o mundo produziu 8,3 bilhões de toneladas de plástico, mas só reciclou 9% desse total.

 

Mesmo com todos os problemas já identificados, o ritmo de produção e descarte não diminui: até 2050, existirão pelo menos mais 12 mil milhões de toneladas de plástico no meio ambiente.

Para mudar esse panorama, muitos hábitos diários precisam ser repensados — já que alguns dados sobre o nosso perfil de consumo são igualmente chocantes.

 

5. No mundo, 1 milhão de garrafas de plástico são compradas a cada minuto.

 

E as garrafas plásticas continuam sendo produzidas em larga escala.

 

Infelizmente, o ritmo de reciclagem não acompanha a produção: apenas metade das garrafas plásticas compradas em 2016 foi coletada para reciclagem. Somente 7% delas foram convertidas em novas unidades, segundo dados do jornal inglês The Guardian.

 

 

6.Todos os anos são usadas até 500 bilhões de sacolas plásticas descartáveis.

 

 

Saquinhos e sacolinhas de supermercado são muito utilizados.

Você costuma usar sacolas plásticas no supermercado? Pois é. As sacolas plásticas são bastante úteis e até parecem inofensivas, mas causam um grande estrago no meio ambiente.

Elas levam pelo menos 200 anos para se degradar, além trazerem diversos transtornos, como:

 

  • Entopem passagens de água nos córregos e bueiros, contribuindo para a retenção de lixo e enchentes em épocas de chuva.
  • São frequentemente ingeridas por aves marinhas, provocando a morte delas.
  • Como o plástico das sacolas é feito com polietileno, substância originada do petróleo, sua decomposição libera gás carbônico e polui o ambiente, além de contribuir com o efeito estufa.

 

Afinal, como reduzir o descarte de plástico no meio ambiente?

 

Mudança de atitude pode fazer toda a diferença!

 

Todo esse panorama mostra uma demanda muito urgente: como o ritmo de reciclagem não acompanha a produção, não basta separar o lixo — é importante reduzir o consumo de forma drástica.

 

 

 

Confira algumas mudanças de hábito que você pode adotar para fazer a sua parte!

No supermercado 

  • Lembre-se sempre de levar ecobags ou sacolas de feira para evitar a utilização das sacolas plásticas.
  • Se estiver de carro, também vale pedir caixas de papelão para colocar suas compras.
  • Prefira comprar produtos com embalagens biodegradáveis, que seguem um processo de decomposição natural no meio ambiente. Já existem opções com matéria-prima orgânica, como bagaço de cana-de-açúcar, fécula de mandioca, fibra de coco, etc.
  • Adote garrafas retornáveis para produzir menos lixo.
  • Evite os sacos plásticos e embalagens de isopor na compra de frutas, verduras e legumes.
  • Tente levar saquinhos de pano para as compras de itens a granel.
  • Prefira sempre embalagens de vidro e caixas em vez de garrafas de plástico.

 

Em bares e restaurantes

  • Dispense totalmente os canudos de plástico.
  • Valorize estabelecimentos que seguem boas práticas de preservação ambiental.
  • Prefira pedir bebidas em garrafas de vidro.

 

Em casa

  • Tente reutilizar embalagens de plástico, como potes de sorvete e manteiga, por exemplo, em vez de comprar novos recipientes.
  • Lave as embalagens de plástico que vão para o lixo e separe para a devida coleta de material reciclável.
  • Dê o exemplo e estimule os outros membros da sua família a adotarem a mudança de hábitos também.
  • Substitua itens de higiene pessoal, como fraldas descartáveis e absorventes por versões mais ecológicas, como fraldas de pano e coletores menstruais.
  • Faça um mapeamento de hábitos e invista em pequenas mudanças: o sabonete líquido, por exemplo, pode ser substituído pelo sólido para evitar uma considerável produção de lixo.
  • Evite o uso de descartáveis, como copos, talheres e pratinhos.

 

No trabalho

  • Tenha sua própria caneca para bebidas como água e café, evitando o uso de copos descartáveis.
  • Promova o consumo consciente. Estimule seus colegas a fazerem o mesmo.

 

Nas redes sociais

Para estimular o consumo consciente, participe do desafio proposto pela ONU e compartilhe boas práticas nas redes sociais utilizando a hashtag #AcabeComAPoluiçãoPlástica. Você pode saber mais sobre essa proposta no hotsite da campanha.

 

 

 

E aí, está convencido de que precisa fazer a sua parte para contribuir com a redução do plástico no meio ambiente?

A partir das nossas dicas, elabore uma lista de comportamentos que podem ser mudados e coloque em prática o quanto antes para inspirar outras pessoas!

E não esqueça, de usar #AcabeComAPoluiçãoPlástica!

 


Veja também!

Comentários

Comentários