Você conhece a profissão de modelista?

Esse profissional tem papel-chave para a construção de uma roupa. É ele quem transforma a criação em realidade e é responsável por fazer a modelagem dessa criação, considerando questões como ergonomia, caimento dos tecidos e vestibilidade (potencial da roupa de adequar-se ao corpo, deixando-o livre e confortável para o movimento). É uma profissão muito valorizada na moda brasileira.

 

Tailor cutting some dressmaker patterns.
Modelista: “Eu projeto os moldes para transformar a criação dos estilistas em realidade”.

 

Mas, afinal, como é o início da carreira de quem escolhe a profissão de modelista?

A construção de uma carreira como modelista envolve muito estudo, técnica e um vasto conhecimento sobre cultura e comportamento de moda, tecidos e criatividade para encontrar as melhores soluções para a criação de peças que vistam bem. A faculdade de modelagem do Senac é uma das opções mais completas para quem quer se formar nessa área.

Conheça um pouco da experiência e o caminho de construção da carreira de dois alunos do curso Bacharelado em Design de Moda – modelagem do Senac que foram premiados no programa Caixa de Costura, do canal GNT.

 

Profissão de Modelista: Eugênio Santos (esq) e Fernando Jeon - vencedores do Programa Caixa de Costura.
Profissão de Modelista: Eugênio Santos (esq) e Fernando Jeon – vencedores do Programa Caixa de Costura.

 

Eugênio Santos (aluno do 5º período do curso)

 

eugenio_edit


Eugênio dos Santos
 tem só 29 anos, mas já acumula larga experiência na área da moda. Ele começou bem cedo: aos 16 anos, já era assistente de estilo em Maceió; aos 20, atuou como costureiro, pilotista e assistente de produção em Belo Horizonte. Em São Paulo, conquistou seu espaço no atelier do estilista Samuel Cirnansck, participando como assistente de modelista em eventos de renome como o São Paulo Fashion Week. Atualmente, Eugênio trabalha no atendimento para desenvolvimentos exclusivos da marca Helo Rocha, além de dar aulas de corset na Universidade Federal de Minas Gerais.

 

1 – Como foi a escolha pelo curso de Modelagem? Por que modelagem?

Descobri o curso do Senac quando tinha 15 anos, mas, naquela época, estava em Maceió e ir para São Paulo era algo irreal, já que o lado financeiro sempre falou mais alto.

Mas o sonho não tinha acabado ali. Contra tudo e contra todos, imprimi a grade do curso e passei a falar para mim mesmo que um dia faria modelagem no Senac. Inclusive, sempre que podia, abria o site do Senac para ficar vendo o campus. Daí fui para Belo horizonte e o caminhar da profissão me trouxe até aqui.

Escolhi a modelagem porque o meu processo criativo se dá na construção da roupa e não apenas no sentido estético bidimensional. Sempre penso no tridimensional. Foi fantástico quando vi na grade que o curso me daria esse suporte.

 

2 – Como está sendo o curso de Modelagem?

Sou bem suspeito em falar, porque realmente amo esse curso. Não dá vontade nem de sair daqui.

Todos os semestres a Viviane (coordenadora do curso) e os professores nos desafiam, e isso é fantástico. Este semestre, aprendi uma técnica de construção em prismas que eu usei no look da Claudia Leite que saiu na revista Vogue.

Aprendo muito com os professores, pois eles são incríveis. Este semestre, atuando na função de monitor de costura, também fui passando o conhecimento para os outros alunos, aprendendo muito com um outro olhar.

 

3 – Na sua opinião, que conhecimentos desenvolvidos no curso contribuíram para a sua atuação profissional nessa área?

Os conhecimentos práticos são os diferenciais do curso. Além disso, a experimentação de novas formas e o entendimento desse processo criativo mais visceral exigem muita dedicação em diferentes matérias.

 

 4 – O que mais curtiu no curso?

Gosto muito do espaço que temos para desenvolver nossas potencialidades. Os projetos feitos por meio de parcerias com empresas de marcas conceituadas têm essa função de aproximar mais os alunos do mercado, deixando esse aluno mais pronto para o que o aguarda.

  

5 – Que caminho pretende trilhar na área de moda? Quais as perspectivas?

Pretendo dar sequência na área acadêmica, fazendo mestrado e doutorado, e me preparar para ser professor.

Realmente pretendo levar um produto interessante para o mercado e poder compartilhar com meus futuros alunos diferentes olhares: do Eugênio professor e do Eugênio estilista para agregar talentos. Esse é parte de um sonho que já começou a dar os primeiros passos.

A minha perspectiva é fomentar esse mercado de moda brasileiro, gerando iniciativas que favoreçam a produção interna e a valorização desse trabalho, para que, de forma harmônica, todos possam crescer e ter orgulho do que fazem.

 


 

Fernando Jeon (ex-aluno do curso de modelagem) 

 

fernando_edit

Depois de terminar o curso de modelagem do Senac, Fernando Jeon trabalhou por um ano com o estilista Pedro Lourenço e há quatro atua no atelier de Fernanda Yamamoto: começou lá como modelista e, desde 2015, assina como estilista da marca.

Em paralelo, Fernando trabalha com alfaiataria, confecciona roupas sob medida e chegou a fazer um curso de verão na Inglaterra. Fernando também fez outros cursos de aperfeiçoamento e já dá aulas práticas sobre o tema.

 

1 – Como foi a escolha pelo curso de Modelagem? Por que modelagem?

Quando era criança, eu já sabia que queria trabalhar com roupas. Meu entusiasmo pela modelagem veio depois que fiz um curso livre de costura, ainda na época do colegial. Descobri que meu interesse maior está na construção da roupa e, na minha opinião, esse é um fator importante para a criação: saber fazer para poder criar.

 

2 – Na sua opinião, que conhecimentos desenvolvidos no curso contribuíram para a sua atuação profissional nessa área?

O que contribuiu para a minha profissão foi o conhecimento intelectual que adquiri no curso e o tempo que tive para enriquecer meu repertório.
Em primeiro lugar, para um modelista, é necessário ser criativo para encontrar soluções e unir técnica e estética, e, para isso, ter um repertório rico é fundamental.

Em segundo lugar, o conhecimento técnico foi o que mais me ajudou na minha formação. O curso traz a base; o conhecimento técnico é algo que leva anos para se desenvolver e se aperfeiçoar. E isso só é possível na prática, atuando efetivamente no mercado.

 

3 – O que mais curtiu no curso?

O que mais tirei proveito durante o curso foi a infraestrutura do Senac e as pessoas que conheci lá. Os professores da minha época eram pessoas muito queridas e os amigos que fiz na faculdade serão para sempre.

 

4 – Que caminho pretende trilhar na área de moda? Quais as perspectivas?

O caminho que quero trilhar no futuro é aquele que me traga sempre oportunidades de aprendizado.

 


 

Saiba mais sobre o prêmio conquistado por Fernando e Eugênio no Programa Caixa de Costura, do Canal GNT.

Conheça as profissões de moda! Baixe gratuitamente! o e-book Por Dentro das Profissões do Mundo da Moda.

Está pensando em fazer um curso, iniciar uma carreira na área de moda ou se especializar? Conheça os cursos do Senac.


Comentários

Comentários