Você sabe falar espanhol ou é mais um praticante do portunhol?

Você sabe mesmo falar espanhol? Ou é mais um praticante do portunhol?
Conheça os falso-cognatos mais comuns entre o português e a língua dos nossos hermanos.

 

Você fala espanhol ou arrisca um portunhol?
Você fala espanhol ou arrisca um portunhol?

 

As línguas portuguesa e espanhola estão repletas de palavras parecidas, mas com significados completamente diferentes. Para não se enrolar – e deixar o portunhol de lado – confira a lista de falsos-cognatos e fuja da saia justa na hora de falar espanhol.

Aceite: não é um pedido para aceitar nada. Significa “óleo”, que também pode ser o de oliva.

Apellido: ao contrário do que pode parecer, não se trata do nome carinhoso que todos os seus amigos te chamam. Apellido, em espanhol, é “sobrenome”. sobrenombre ou apodo é o “apelido” da língua portuguesa.

Acordarse: apesar de ser exatamente a mesma palavra que “acordar”, ou despertar, em português, em espanhol ela significa “lembrar-se”.

Aula: em espanhol significa “classe” ou “sala de aula”, o lugar onde se aprende. Já clase (lê-se classe) é “aula”, o conteúdo que se aprende.

Brinco: é pulo. E brincar significa pular.

Botiquín: palavra tão familiar na nossa língua, em espanhol ela não tem nada a ver com bares. Pelo contrário: significa “maleta de primeiros-socorros”.

Chulo: enquanto em português se refere a algo tosco, como “a linguagem chula”, em espanhol pode significar “legal, fofo ou bonito”.

Cola: no espanhol, tanto pode ser uma “fila” de pessoas como “rabo” de animal. Nada a ver com o “líquido ou substância aderante” que usamos para colar coisas.

Copa: é “taça”.taza (lê-se taça) é “xícara”. E vaso é “copo”. Ou seja, atenção redobrada na hora de pedir “una taza de café”, “un vaso de agua” e “una copa de vino”.

Crianza: a pronúncia é idêntica à de criança. Mas o significado em espanhol é “criação”.

Cachorro: pode ser o filhote de qualquer mamífero. Por exemplo, você pode ter um cachorro de gato.

Carpeta: significa “pasta de documentos” e não carpete, como poderíamos supor.

Embarazo: é a “gravidez”. E embarazada é a “grávida”. Nada a ver com uma possível situação embaraçosa que a palavra faz lembrar.

Exquisito: em espanhol significa “requintado” ou “delicioso”. Esquisito, mesmo, não?

Fecha: significa “data”.

Frente: fica mesmo na parte frontal do corpo. É a “testa”.

Grasa: lê-se “graça”, mas não tem nada de divertido. Em espanhol, significa “gordura”.

Largo: outra palavra que pode gerar confusão, já que é idêntica ao português e também se refere a uma medida. Só que em espanhol significa “comprido”.

Latir: verbo específico do espanhol, refere-se ao “bater do coração”.

Oso: lê-se osso, mas refere-se a “urso”.

Pasta: palavra muito usada na hora da comida e não na hora de escovar os dentes. Afinal, em espanhol significa “massa”.

Pastel: também é de comer, também é delicioso, mas significa “bolo”.

Pelado: significa “careca”. Por isso, não se preocupe se alguém quiser lhe apresentar um amigo “pelado”.

Propina: em espanhol é “gorjeta”, algo visto com bons olhos, bem diferente da propina do português.

Polvo: não mora no mar, pelo contrário, se dissolveria por lá. É o “pó”.

Pronto: significa “logo, em breve”.

Rico: é algo “gostoso”.

Saco: é apenas um “paletó”.

Tapa: não machuca ninguém. É a “tampa”.

Tapas: palavra mais comum na Espanha, significa “aperitivos ou petiscos”.

 

Quer aprender a falar espanhol? Inscreva-se aqui.
Curtiu o assunto? Tem mais aqui:

Como perder o medo de aprender um idioma?
Por que aprender um novo idioma?

Para conhecer outros conteúdos sobre línguas, clique aqui.

Veja também!

Comentários

Comentários