Início Moda e Beleza 5 desafios de quem busca um curso de modelagem com foco em...

5 desafios de quem busca um curso de modelagem com foco em formação profissional

Em um mercado de moda competitivo e promissor, o profissional de modelagem precisa desenvolver muito mais do que o domínio técnico.

Imagem de Jovem negra modelista no seu atelier. Ela está com fita métrica envolvido no pescoço. Ao fundo, roupas estão penduradas em uma "arara".
Curso de modelagem: desafios de quem busca uma formação profissional na área.

 

Você pode estar se perguntando: será que tenho perfil para fazer um curso de modelagem?

Se você gosta de moda, costura e criação.  A resposta é SIM!

O maior desafio do modelista de moda é transformar a criação dos estilistas em realidade, construindo roupas respeitando ergonomia, caimento, tecidos e aviamentos adequados.

Desta forma, uma formação na área precisa garantir não só o domínio da técnica de modelagem, mas também oferecer um repertório para que o modelista entenda a criação do estilista e possa apresentar as melhores soluções.

Daí a importância desses dois profissionais conhecerem muito bem a função um do outro.

Até porque, cada vez mais, o processo de construção de uma coleção acontece coletivamente, com muita troca entre quem desenha e quem confecciona a peça.

 

Uma área dinâmica, com potencial de mercado
muito animador

 

Foto de jovem modelista em seu atelier de modelagem. Ao fundo, arara com roupas penduradas em sala ampla.
Quem faz um curso de modelagem entra para uma área que se transforma o tempo todo.

 

Você já deve saber que a moda é uma área de negócio dinâmica e que está sempre em transformação.

Ela está sempre conectada a tudo: às tendências de comportamento e aos movimentos econômicos, culturais, sociais e tecnológicos.

E o profissional que escolhe esse mercado precisa acompanhar tudo, e até estar à frente para agarrar as melhores oportunidades.

Falando nisso, o profissional de modelagem tem a seu favor um mercado de moda com muito potencial no Brasil.

O cenário é promissor. Dá só uma olhada nesses dados de 2018 da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit):

  • O Brasil é o quinto maior produtor têxtil e o quarto maior parque produtivo de confecção do mundo;
  • O mercado nacional contrata mais de 1,5 milhão de trabalhadores;
  • A cadeia produtiva, com cerca de 30 mil empesas formais, faturou US$ 51,58 bilhões, em 2017;
  • O segmento é o segundo maior empregador da indústria de transformação, perdendo apenas para a de alimentos e bebidas.

Para você conhecer melhor o que vem pela frente ao escolher uma formação profissional na área de modelagem, relacionamos:

 

5 desafios de quem busca um
curso de modelagem

 

Imagem da mão de um jovem modelista produzindo um molde sobre uma tecido preto sobre uma mesa.
Os desafios de quem busca um curso de modelagem passam pela formação, inclusão, segurança e sustentabilidade.

 

1 –  Roupa mais funcional

 

Não faz mais sentido usar uma roupa bonita, mas desconfortável. Difícil de lavar, com baixa durabilidade…

Cada peça tem uma função no cotidiano das pessoas. Impossível praticar esporte com qualquer roupa, não é mesmo?

O corte, o tecido, enfim, o modelista constrói a partir da análise e interpretação de dados da criação, e do entendimento do consumo para o vestuário.

 

2 – Moda mais inclusiva

 

Imagem de grupo de quatro mulheres de diferentes biotipos: negras, ruivas e brancas. Elas usam top e calça de legging e estão abraças e sorriem.
Construir roupas para todos os biotipos: um dos desafios do profissional que busca um curso de modelagem.

 

A moda precisa reconhecer a diversidade humana e atender corpos, gêneros e biotipos diferentes. Ela é essencialmente inclusiva.

O profissional da área precisa modelar roupas para corpos diferentes – magro, gordo, alto, baixo, com deficiência, etc.

Ou seja, a produção de peças precisa considerar ergonomia, mobilidade e funcionalidade, aliados a um design mais atraente, para todos os tipos de usuários.

São soluções criativas que impactam diretamente na imagem e na autoestima das pessoas. Legal, né?

 

3 – Trabalho seguro e saudável

 

Imagem aproximada de um tecido roxo com agulhas a alfinetes coloridos espetados nele.
Curso de Modelagem: agulhas e alfinetes são pontos de atenção da área de moda.

 

Trabalhar com segurança é fundamental em qualquer área. As normas existem para proteger os profissionais diante de alguns riscos.

A área de modelagem também tem os seus pontos de atenção.

Descartar adequadamente alfinetes, agulhas, entre outros objetos cortantes e perfurantes, é um cuidado diário no ambiente onde o modelista atua.

Afinal, promover a saúde e a qualidade de vida de todos os envolvidos no processo de produção depende de ações de prevenção.

 

4 – Tecnologia

 

Imagem de jovem modelista sentada sobre uma mesa enquanto olha e sorri ao usar um tablet. Ao fundo, um busto de manequim vestido com uma roupa bege.
Curso de modelagem: dominar a tecnologia é uma competência muito valorizada para os profissionais da área.

 

Tecnologia, quem vive sem ela nos dias de hoje?

Na modelagem, a tecnologia está presente desde a concepção de uma roupa até o produto final, na utilização de tecidos tecnológicos que estão cada vez mais no radar dos profissionais e consumidores.

No dia a dia da profissão, softwares específicos da modelagem, como o Audaces, garantem o encaixe preciso dos moldes, trazendo mais sustentabilidade ao produto.

E tem mais. Com a modelagem computadorizada, o modelista ganha tempo e eleva o seu desempenho, com qualidade.

Sem contar outros benefícios, como: o maior aproveitamento do tecido e a diminuição do desperdício e dos resíduos.

Fique atento, dominar essas ferramentas digitais da área é um diferencial importante para o profissional desse segmento.

 

5 –  Ética e Sustentabilidade

 

Ética na moda se aplica à prática profissional. O debate começa com um alerta: imagine impacto da cópia, o plágio, na modelagem. Complicado, né? Mas acontece.

Pensar em uma moda mais ética e sustentável passa pela:

  • Preocupação com o uso de matéria-prima adequada para não ferir o meio ambiente;
  • Valorização do processo produtivo limpo;
  • Confecção de vestimentas duráveis, etc.

É sempre um exercício importante que exige do modelista um conhecimento dos recursos disponíveis para a produção das roupas.

Dica: as indústrias valorizam muito essa competência profissional.

 

A Formação Profissional:
Técnico em Modelagem do Vestuário

 

Imagem fechada da mão de uma jovem modelista enquanto faz um molde sobre uma mesa. Ela usa um lápis e está com um fita métrica envolvido no pescoço.
Curso de Modelagem: uma formação profissional na área de modelagem requer o desenvolvimento de diferentes competências.

 

Todos os desafios apresentados aqui serão enfrentados durante uma fase importante: a formação profissional.

Em um mercado de trabalho cada vez mais exigente, um curso de modelagem precisa formar um profissional preparado para atuar em diferentes locais: seja na indústria, confecções, ateliês, etc.

O curso Técnico em Modelagem do Vestuário do Senac, por exemplo, também estimula o futuro modelista a trilhar o caminho do empreendedorismo, abrindo seu próprio negócio.

Isso porque desde o início do curso, o estudante é estimulado a protagonizar o seu aprendizado com total autonomia. O que isso significa?

O curso simula situações reais, fazendo com que o aluno vivencie ambientes reais para aprender de forma bem prática.

Só para ter uma ideia, conheça algumas das competências que você vai dominar depois dessa formação:

  • Usar adequadamente matéria-prima e aviamento na confecção da roupa;
  • Discutir soluções produtivas a partir do processo de criação da peça;
  • Fazer modelagem computadorizada e peças em 3D;
  • Interpretar modelos de peças de vestuário;
  • Modelar para todo tipo de corpo, o sob medida.


Resumindo:
depois do curso, você entra no mercado de trabalho, com domínio técnico, repertório criativo e postura colaborativa, preparado para atuar no mercado e contribuir com o desenvolvimento da área.

Ainda na dúvida se vale a pena encarar um curso de modelagem?

Perfil, formação profissional, oportunidade de trabalho e desafios do mundo contemporâneo, tudo está aí à sua disposição.

Se você se identificou, é só apostar e trilhar a sua nova carreira de modelista.

Boa sorte!

 


Colaboração:
Mariana P. Freitas, coordenadora da área de Moda e Beleza do Senac São Paulo.

 


Comentários

Comentários