Conheça 6 formações técnicas ligadas à área de Gestão e Negócios

Saiba quais cursos estudar para ter a possibilidade de trabalhar com o que sempre sonhou.

A área de Gestão e Negócios forma profissionais para trabalhar em setores estratégicos das empresas.

 

A área de Gestão e Negócios engloba uma série de cursos distintos. Em comum, eles formam profissionais para atuarem em setores estratégicos de qualquer companhia.

Por exemplo, você já se imaginou trabalhando no departamento de logística, finanças ou de recursos humanos de uma empresa?

Normalmente, quem faz um curso na área de Gestão e Negócios sonha em atuar em uma dessas áreas e, quem sabe, ocupar um cargo de liderança.

Mas, em um momento de incertezas na economia e em um mercado competitivo, sabemos que a jornada para alcançar o topo não é nada fácil. É um passo de cada vez.

Fazer um curso técnico ou uma graduação na área de Gestão e Negócios abre um mundo de oportunidades ao profissional.

Independentemente do segmento de atuação, a maioria das empresas – sejam públicas ou privadas – demandam profissionais com essa formação.

Quer saber mais sobre as principais carreiras relacionadas à Gestão e Negócios?

Então, continue com a gente.

 

Gestão e Negócios x Administração de Empresas

 

Quando falamos na área de Gestão e Negócios, muitas pessoas podem se confundir com o curso de Administração de Empresas.

Acontece que Gestão e Negócios é o nome de uma categoria organizada pelo Ministério da Educação (MEC). Ela engloba uma série de cursos para quem deseja atuar em setores indispensáveis de quaisquer empresas.

Trocando em miúdos, podemos simplificar da seguinte maneira: enquanto Administração de Empresas é um curso mais generalista que apresenta uma visão ampla dos negócios; Gestão de Negócios é uma área que abrange uma série de cursos.

Por sua vez, esses cursos focam em uma área específica de atuação, como gestão de pessoas e marketing.

 

Fazer um curso técnico ou uma graduação na área de Gestão e Negócios?

 

É possível fazer o curso técnico junto com o ensino médio.

 

Uma primeira possibilidade para dar início à sua trajetória profissional está em fazer um curso técnico, que pode ser feito junto com o ensino médio.

Nele, você pode focar em uma área de atuação e, assim, aprender a executar todas as tarefas de um profissional do setor.

E a melhor parte: você já sai com o certificado na mão em no máximo dois anos, podendo conciliar os estudos com um estágio. Em outras palavras, você entra no mercado de trabalho muito jovem.

Uma alternativa para atuar em uma das áreas de Gestão e Negócios está em fazer uma graduação. Para isso, é necessário ter o ensino médio completo.

Quanto à duração do curso de graduação, depende. Se for um bacharelado, costuma durar quatro anos, ou seja, mais tempo para entrar no mercado de trabalho. Por outro lado, um tecnólogo tem duração parecida aos dos cursos técnicos: dois anos.

A graduação também permite colher melhores frutos (leia-se, salários maiores) lá na frente, uma vez que o estudante de uma graduação se aprofunda no tema de interesse e ainda tem aulas de outras disciplinas relacionadas.

Isso sem mencionar que a graduação possibilita o profissional a fazer uma pós-graduação. Desse modo, ele está mais maduro para concorrer a cargos mais altos.

 

Cursos de Gestão e Negócios estimulam o empreendedorismo

 

Um detalhe importante que se repete em todos os cursos da área de Gestão e Negócios é o incentivo ao espírito empreendedor.

Além de aprenderem a executar funções de suas áreas de interesse, estudantes conhecem ferramentas inovadoras para aplicarem no dia a dia em seus trabalhos.

Empreender, aqui, não significa necessariamente abrir a própria empresa. Pode ser tomar à frente de projetos inovadores na área onde você já trabalha, com uma atitude empreendedora.

A ideia é fazer com que o profissional identifique problemas no processo e proponha soluções. De modo geral, os cursos técnicos procuram incentivar o espírito empreendedor nos alunos.


As 6 principais formações técnicas ligadas à área de Gestão e Negócios

 

A área Gestão e Negócios abrange uma série de cursos, focados em setores específicos de atuação.

 

Como já deu para entender, a área de Gestão e Negócios abrange setores essenciais de companhias de todos os segmentos.

Afinal de contas, todas as empresas – de hospitais a comércios e indústrias – precisam contar com profissionais de finanças para deixar as contas em dia e de recursos humanos para seleção e retenção de talentos.

Em outras palavras, ao concluir um curso técnico ligado à área de Gestão e Negócios, você abre muitas portas: empresas públicas e privadas, de pequeno e grande porte.

Abaixo, selecionamos as principais formações ligadas à área e suas respectivas faixas salariais média.

Vale lembrar que, à medida que você adquirir mais experiência e apresentar bons resultados, a remuneração pode melhorar.

 

1 – Técnico em Recursos Humanos

 

Identificar talentos no mercado é uma das atribuições do profissional de Recursos Humanos.

 

Vamos combinar: uma empresa com profissionais desmotivados dificilmente obterá sucesso. Por isso, a área de gestão de pessoas se mostra tão essencial no mundo corporativo.

O setor de Recursos Humanos (RH) evoluiu muito nas últimas décadas, assumindo um papel estratégico e protagonista nas empresas.

Os profissionais desta área auxiliam gestores e departamentos em tomadas de decisões importantes e criam estratégias para o desenvolvimento das pessoas e resultados organizacionais.

O RH deixou de olhar apenas para processos burocráticos e voltou suas atenções também às pessoas.

Diante desse cenário, as empresas passam a investir cada vez mais recursos em um RH estratégico. Aqui, vale destacar as principais atribuições dos profissionais de recursos humanos para compreender o impacto de sua atuação nas organizações:

  • Recrutamento, seleção e retenção de profissionais;
  • Avaliação de desempenho de setores e pessoas;
  • Treinamento e desenvolvimento;
  • Cultura e clima organizacional;
  • Elaboração e pagamento da política salarial e benefícios.

Todas essas competências são adquiridas no curso Técnico em Recursos Humanos. Em aulas práticas e teóricas, os alunos conhecem ferramentas que ajudam na identificação e gerenciamento de talentos, no desenvolvimento de lideranças e no acompanhamento das mudanças do mercado.

Por isso, são profissionais valorizados em uma empresa. Em poucos anos na carreira, você pode alcançar o cargo de analista de Recursos Humanos. No Estado de São Paulo, o profissional ganha 3 salários mínimos estaduais, em média*.

 

2 – Técnico em Comércio Exterior

 

O Brasil é um dos maiores exportadores de commodities do mundo.

 

Mais uma entre tantas carreiras da área de Gestão e Negócios, o setor de comércio exterior atrai pessoas interessadas em atuar com o mercado internacional, nas negociações e operações de importação e exportação de produtos e serviços.

Em um curso Técnico em Comércio Exterior, os alunos aprendem as políticas cambiais e alfandegárias para operar transporte, armazenagem e logística internacional de acordo com a legislação vigente.

Este profissional pode trabalhar em organizações públicas, privadas e de terceiro setor, como comerciais importadoras e exportadoras, instituições financeiras, agentes de carga, despachantes aduaneiros e tradings.

Trata-se de um mercado dinâmico. De acordo com números da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) de 2020, o Brasil é o maior exportador mundial de açúcar, suco de laranja, café e de carnes bovinas, suínas e de aves. Isso sem mencionar a produção expressiva de milho e soja para o mercado externo.

Por outro lado, o país é o 29º maior importador do mundo – segundo levantamento de 2018 do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Entre as mercadorias mais compradas pelo Brasil, estão produtos manufaturados, peças para automóveis e tratores, medicamentos e óleos combustíveis.

Na prática, isso quer dizer que o setor de comércio exterior demanda muitos profissionais qualificados para realizar negociações e operações com o mercado internacional.

Os técnicos em comércio exterior no Estado de São Paulo têm como piso salarial 2 salários mínimos estaduais*.

 

3 – Técnico em Finanças

 

Em um mundo conectado, as empresas investem cada vez mais em marketing digital.

 

Contas a pagar. Contas a receber. Orçamento empresarial. Captação e aplicação de recursos. Essas são algumas tarefas desempenhadas por um profissional de finanças.

Quem faz um curso Técnico em Finanças deve gostar de números. Nas aulas, você aprende a executar uma série de atividades variadas como:

  • preparação do planejamento financeiro;
  • apuração de custos e composição de preços;
  • apoio em processos de financiamentos e investimentos;
  • apoio ao setor de contabilidade.

Essas habilidades adquiridas permitem que o profissional trabalhe em qualquer empresa. Isso porque, independentemente do ramo de atuação, toda companhia precisa de um departamento financeiro.

Para facilitar as tarefas do dia a dia, é muito importante que o profissional tenha bastante conhecimento em Excel. Basicamente, o trabalho se concentra em elaboração de planilhas com fórmulas complexas para organizar todos os números da companhia.

Uma pessoa formada como técnico em finanças pode dar os primeiros passos na carreira como um auxiliar ou assistente financeiro.

No Estado de São Paulo, esse profissional chega a receber, aproximadamente 2 salários mínimos estaduais*.

 

4 – Técnico em Logística

 

Quem trabalha com logística precisa conhecer como funciona toda a cadeia produtiva.

 

Na maioria das empresas, a área de logística vem se destacando e se consolidando como um setor estratégico.

Atuando no planejamento, operacionalização, segurança e controle de toda a cadeia produtiva, a área de logística influencia diretamente na competitividade do negócio frente à concorrência.

No curso Técnico em Logística, o aluno desenvolve uma visão completa e estratégica da cadeia produtiva e seu fluxo logístico. Isso inclui os procedimentos relacionados a suprimentos, produção, recebimento, armazenagem e distribuição de produtos.

Quando formado, ele pode desempenhar a função de analista de logística no começo da carreira.

Este profissional é responsável por verificar a qualidade de materiais e produtos, controlar a armazenagem, organizar estoques, elaborar os itinerários das mercadorias, entre outras.

Dessa forma, ele precisa estar antenado às principais tendências do setor para introduzir melhorias em todo o processo, com o objetivo de cumprir os prazos de entregas estabelecidos, reduzir custos e fidelizar clientes.

Quem tem formação técnica em logística começa a carreira no Estado de São Paulo com um piso salarial um pouco acima de 1 salário mínimo estadual*.

 

5 – Técnico em Secretariado

 

Elaborar toda a agenda de gestores faz parte da rotina de um técnico em secretariado.

 

Prestar assessoramento a gestores. Apoiar a preparação de eventos corporativos. Avaliar e organizar documentos. Enfim, ser peça indispensável da rotina de pessoas que tomam decisões importantes para uma empresa. Essa pode ser a realidade de quem se forma no curso de Técnico em Secretariado.

Na verdade, as pessoas que se formam nesse curso podem atuar em duas frentes: na recepção tendo contato direto com clientes e na secretaria executiva, próxima de diretores e gerentes.

O profissional desta área costuma fazer o primeiro atendimento aos clientes e prestar informações sobre a empresa. Trata-se, portanto, de uma função muito importante para encantar e atrair clientes.

Com essa formação, a pessoa também pode alcançar o posto de secretário executivo.

Nesse caso, ela é responsável por organizar toda a rotina do corpo diretivo. Isso inclui gestão de pessoas, elaboração de eventos corporativos, controle e arquivo de documentos e por aí vai.

Aqui, uma dica: se você pretende chegar à função de secretário executivo em uma empresa multinacional, é muito importante aprender um segundo idioma. De preferência, inglês ou espanhol.

Nos primeiros passos da carreira, uma pessoa formada no Estado de São Paulo como técnico em secretariado tem como piso salarial 2 salários mínimos estaduais*.

 

6 – Técnico em Administração de Empresas

 

gestão e negócios
O curso técnico em administração oferece uma visão completa de todas as áreas essenciais de uma empresa.

 

Agora, quem pretende abrir a própria empresa ou ter uma visão geral de um negócio tem como melhor alternativa fazer o curso Técnico em Administração. Isso porque o aluno acaba passando por todas as áreas essenciais de uma empresa: finanças, gestão de pessoas, marketing, operações logísticas e vendas.

Na prática, isso significa que você pode trabalhar em empresas de qualquer segmento no departamento que tiver mais familiaridade.

Não é só isso.

Caso você seja contratado por uma empresa pequena, pode acumular funções de diferentes áreas. Por exemplo, contribuir tanto nas tarefas de finanças quanto nas de marketing. Afinal de contas, o curso técnico em administração de empresas propicia essa visão completa dos negócios.

Enfim, com essa formação, pode abrir o próprio negócio ou seguir carreira no mundo corporativo graças a essas competências.

A decisão é sua!

Agora que você já conhece um pouco mais sobre as principais carreiras técnicas ligadas à área de Gestão e Negócios, fica mais fácil decidir qual rumo seguir.

Por exemplo, se você gosta de lidar com pessoas, fazer um curso técnico em Recursos Humanos pode ser uma boa opção. Por outro lado, se prefere números e planilhas, aí o curso técnico em Finanças seja o ideal para você.

Independentemente da sua escolha, é muito importante que você procure conhecer melhor sobre o mercado de atuação da sua área de interesse. Por que não conversar com profissionais experientes e buscar referências de quem está fazendo tal curso?

Assim, você diminui as chances de arrependimento.

Boa sorte na carreira!

* Informações de salários foram retiradas do site www.dissidio.com.br, que levanta os dados atualizados de convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados.

 

Colaboração:

Boa sorte na carreira!

* todos as informações de salários foram retiradas do site dissidio.com.br, que levanta os dados atualizados de convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados.

 

Colaboração:

Ana Stella Bonciani, coordenadora de desenvolvimento de cursos da área de Gestão e Negócios do Senac São Paulo.

Elizabeth Ribeiro, coordenadora de desenvolvimento de cursos da área de Gestão e Negócios do Senac São Paulo.

Comentários

Comentários