Quer congelar alimentos? 9 dicas para facilitar o seu dia a dia!

Saiba como garantir uma rotina de alimentação mais prática, sustentável e segura, sem comprometer o sabor e o prazer das refeições.

Congelar alimentos: da geladeira ao freezer. Conheça algumas técnicas de congelamento e descongelamento.

 

Congelar alimentos é sempre uma ótima opção para conservar a comida preparada em casa, certo?

A prática serve para evitar desperdícios em uma refeição que sobrou, assim como para planejar a alimentação da semana, por exemplo.

Muitas pessoas têm medo que o alimento perca o sabor ao ir para o freezer, porém, isso só acontece se os processos de congelamento e descongelamento forem feitos de maneira inadequada.

 



Por que congelar?

O congelamento é um eficiente sistema de conservação, pois retira calor dos alimentos para retardar a ação de micro-organismos e, dessa forma, o processo de deterioração.
Para alcançar as condições ideais de temperatura, o freezer/congelador deve operar a -18°C, no mínimo. Portanto, atenção a isso!

 


 

 

Para não errar, confira 9 dicas para congelar alimentos

 

1- Certifique-se de que os alimentos estejam em boa qualidade

 

Antes de congelar alimentos, avalie se eles estão em boas condições e sem mudanças de odor e aparência.

 

Você sabia que, muitas vezes, a comida já estragou e nós nem percebemos? Então, isso pode mesmo ocorrer.

O congelamento retarda o avanço dos micro-organismos, mas também encobre a deterioração que já existe e facilita a disseminação de infecções e intoxicações.

Portanto, para saber se é hora de mandar o alimento para o lixo, atente-se aos sinais:

 

Quanto à aparência, observe:

  • coloração alterada;
  • ranço ou líquido estranho;
  • corpos estranhos como insetos ou dejetos de insetos, ranhuras estranhas e oxidação;
  • mofo (pontos esverdeados ou coberturas brancas).

 


Quanto ao cheiro:


Cada alimento tem seu aroma próprio e é importante saber reconhecê-lo. Se, ao cheirar, você sentir uma reação ruim ao organismo ou um odor diferente do habitual, é porque já passou do ponto.

 

Quanto ao sabor:

 

Caso o alimento já tenha passado do ponto e a observação da aparência e do aroma não tenha detectado nada, certamente o sabor estará alterado. Então, bastante cuidado com isso!

 

 

2- Como congelar os vegetais

 

Congelar alimentos: no caso dos vegetais, é importante seguir alguns passos como o branqueamento.

 

Ao congelar os vegetais:

  1. certifique-se de que estão frescos;
  2. retire as partes danificadas;
  3. lave-os bem.

Em seguida, é preciso fazer o processo chamado de “branqueamento”: escaldá-los em água fervente por alguns minutos e, logo depois, resfriá-los com água fria ou gelada pelo mesmo tempo em que foram escaldados.

Como resultado, essa técnica mata os micro-organismos e garante a manutenção de cores e nutrientes.

Depois, é só secar bem e armazenar no freezer.

 

3 – Divida os alimentos em pequenas quantidades

 

Congelar alimentos: a quantidade e a ser congelada é um ponto importante do processo.

 

Avalie a quantidade adequada para cada refeição e faça pequenas porções antes de congelar.

Assim, o descongelamento será mais rápido, prático e evitará desperdícios, pois congelados não podem voltar para o freezer.

 

 

4 – Utilize embalagens adequadas

 

Congelar alimentos em embalagens adequadas é uma das boas práticas dessa atividade.

 

As embalagens ideais para congelados devem:

  • ser próprias para ir ao micro-ondas (para facilitar o descongelamento);
  • não permitir que o alimento entre em contato com o ar frio e seco do freezer;
  • evitar a passagem de aroma;
  • não rasgar com facilidade;
  • resistir à gordura;
  • aderir ao alimento antes do congelamento e se soltar com facilidade depois de congelado.

 

Na prática, recomenda-se usar:

 

Para alimentos sólidos:


  • Sacos plásticos de polietileno incolor (atóxico): após acondicionar o alimento, retire todo o ar do interior com auxílio de uma minibomba de vácuo e, em seguida, feche com arame plastificado.
  • Folhas de alumínio: devem ser bem pressionadas, com a face mais brilhante em contato com o alimento.
  • Plástico aderente: também bem pressionado e vedado com fita crepe.
  • Recipientes plásticos, de alumínio ou vidro com tampa: devem ser fechados com fita crepe caso não proporcionem vedação total. Caso o alimento não chegue ao nível da tampa, experimente preencher o espaço com plástico, folha de alumínio ou papel-manteiga. Dessa forma, evitará a formação de cristais de gelo.

 

Para alimentos líquidos:


  • potes de vidro;
  • recipientes plásticos;
  • formas de gelo.

 

Para não danificar embalagens:


  • não acondicione conteúdos quentes em recipientes de vidro e depois coloque no freezer: o choque térmico pode provocar trincas;
  • ao congelar, todo líquido se expande. Por isso, deixe sempre um espaço vazio de, pelo menos, dois centímetros ao guardá-lo em potes de vidro e recipientes plásticos. Dessa forma, você evita rompimento.

Atenção: nunca esqueça que embalagens ou papel de alumínio não podem ser utilizados diretamente no micro-ondas, ok?

 

 

5 – Coloque etiquetas nos alimentos com o nome e a data do congelamento

 

Não se engane: alimentos guardados no freezer também podem estragar! Isso mesmo, o congelamento não bloqueia totalmente a deterioração, apenas desacelera a ação dos micro-organismos.

Afinal, conforme a organização internacional Food Safety, especializada em segurança alimentar, cada alimento congelado tem um tempo médio de conservação.

 

Confira na tabela abaixo:

 

Fonte: FoodSafety.Org

 

6 – Saiba quais alimentos não podem ser congelados

 

Todas estas dicas para congelar alimentos podem não servir igualmente para alguns produtos, que tendem a perder propriedades de sabor, textura e valor nutritivo.

Em geral, isso acontece porque os ingredientes presentes na composição se separam e congelam em tempos diferentes.

Veja os casos de alimentos que não podem ser congelados e evite surpresas:

 

Congelar alimentos é uma solução práticas, mas nem todos os produtos podem ir ao freezer.
Congelar alimentos é uma solução prática, mas nem todos os produtos podem ir ao freezer.
  • maionese;
  • salada de folhas cruas;
  • gelatinas ou alimentos à base de gelatina;
  • claras em neve ou cozidas;
  • batatas cozidas;
  • ovos cozidos;
  • pudins cremosos;
  • creme de leite;
  • cremes em geral;
  • curau.

 

7- Jamais “recongele” um alimento

 

Entre os erros mais comuns ao congelar alimentos: o uso incorreto de embalagens e o recongelamento.

 

Se um alimento for descongelado e apenas usado parcialmente, a parte restante não pode ser levada ao congelador novamente.

Tal cuidado é importante porque, durante esse processo, as bactérias e os fungos entram em contato com o ar e iniciam uma nova colonização.

Se esse mesmo alimento for congelado novamente, pode estar paralisando um processo de apodrecimento já iniciado e, definitivamente, irá modificar suas propriedades.

 

 

8 – Entenda os locais de descongelamento adequados para cada alimento

 

Congelar alimentos: o processo de descongelamento não é simplesmente tirar o alimento do freezer.
Congelar alimentos: o processo de descongelamento não é simplesmente tirar o alimento do freezer.

 

Não adianta seguir todas essas dicas para congelar os alimentos se você tem o hábito de descongelar a comida fora da geladeira — em cima da pia ou da mesa, por exemplo.

Dependendo dos ingredientes envolvidos, essa prática acelera a proliferação de micro-organismos.

Portanto, para não correr riscos de intoxicação, siga esses princípios:

 

Descongelamento em temperatura ambiente:

 

Ideal para tortas, bolos, doces e frutas, que precisam descongelar ainda embalados;

 


 

Descongelamento no refrigerador:

 

Para alimentos cujo descongelamento precisa ser lento, como carnes cruas e queijos;

 

 


 

Descongelamento no forno ou fogão:

 

Indicado para todos os pratos prontos, pré-cozidos ou branqueados (escaldado), no caso dos legumes.

 

 

9 – Saiba usar a função de descongelamento do micro-ondas

 

Congelar alimentos: a função de descongelamento do micro-ondas é muito útil, mas pouco utilizada.

 

O micro-ondas pode ser um instrumento muito prático quando precisamos descongelar alimentos rapidamente. Definitivamente isso é fato.

Seu mecanismo funciona da seguinte maneira: a comida é aquecida de modo que o calor derreta os cristais de gelo.

Porém, para não desencadear um processo de cozimento indesejado, alguns cuidados precisam ser tomados. Nesse sentido, as recomendações são as seguintes:

  • peças grandes de carne precisam ser descongeladas aos poucos, com intervalos. Caso contrário, a parte interna permanecerá congelada e o exterior começará a cozinhar;
  • para evitar o descongelamento desigual, sempre que possível interrompa o processo e mexa, vire ou separe as partes do alimento;
  • em geral, o micro-ondas funciona melhor com pequenas quantidades. Portanto, procure congelar seus alimentos em embalagens de até meio quilo para facilitar o processo.
  • use potência mínima para descongelar alimentos crus, assim como carnes e aves. Por outro lado, para os pratos prontos, pode apostar na potência média ou máxima.

 


 

E então, gostou das nossas dicas para congelar alimentos?

Por fim, se quiser se especializar no assunto, conheça o curso Técnicas de Congelamento.

 

Colaboração:
Marina de Morais Monteiro, docente do Senac Sorocaba.

Comentários

Comentários