Como é a faculdade de estilismo do Senac? Profissionais formadas respondem!

Confira uma entrevista com as ex-alunas Gabriela Sakate e Brenda Colautti, que traçam um panorama da faculdade de estilismo a partir da experiência na graduação do Senac.

Male fashion designer writing down his ideas, rear view
Faculdade de estilismo

Quem são elas?

 

Gabriela Sakate, 30 anos.

gabrielaFormada na faculdade de estilismo do Senac em 2007, Gabriela Sakate venceu o concurso Talentos SENAC, como melhor estilista no fim da graduação. Foi contemplada com uma bolsa de estudos na universidade ESMOD Paris e apresentou sua primeira coleção na São Paulo Fashion Week. Também estudou na Central Saint Martins, em Londres, e, ao retornar ao Brasil, foi premiada pela Casa de Criadores. De 2011 a 2014, apresentou suas coleções em Lisboa, Nova York, Londres e Medellín, e, em 2013, recebeu o Prêmio Jovem Brasileiro na categoria moda. Além de ter uma marca própria de alfaiataria feminina, que leva o seu nome, já trabalhou com importantes marcas nacionais e desenvolveu projetos de consultoria de estilo para diversas empresas.

 

Brenda Colautti, 25 anos.

brenda

Com apenas 25 anos de idade, Brenda já foi assistente de figurino do Cirque Du Soleil e, após atuar no universo de produção de moda, desfiles e revistas, trabalha atualmente como produtora de grandes eventos como Rock in Rio e Olimpíadas. Brenda cursou estilismo no Senac de 2009 a 2012 e explorou ao máximo as oportunidades na área. Trabalhou como assistente de produção em revistas da Editora Abril; assistente de estilo em uma marca de sapatos; encarregada de produção em uma confecção; como assistente de figurino em comerciais e ainda como estilista da marca Vanilla.

Como é a faculdade de estilismo do Senac, segundo a experiência de vocês?

Brenda – O Senac foi incrível: professores maravilhosos com ótima metodologia, além de uma excelente infraestrutura. A instituição dá todo o apoio e oferece uma superinfraestrutura para que nós, alunos, possamos decolar. Mas o nosso conhecimento e crescimento profissional dependem da forma como encaramos a graduação. Eu aprendi muito mais do que esperava e abracei cada oportunidade que tive. Em 2012, quando me formei, não queria mais sair da faculdade, o Senac tinha virado a minha segunda casa. Eu também me surpreendi com a quantidade de atividades além da sala de aula como workshops, que pude fazer.
Gabriela – Para escolher o curso, pesquisei várias universidades. Tem faculdade que é muito focada em negócios de moda, enquanto outras estão mais voltadas à parte de costura. Já o Senac tem os dois lados, indo desde a costura, a parte de tecido, até a estruturação das marcas. Fora isso, o Senac sempre teve uma visão mais voltada para desenvolver o empreendedorismo. Ou seja, ao mesmo tempo que tem a liberdade de criação, puxa os alunos para a realidade de que moda é negócio, com uma formação atenta ao mercado.

Do que vocês mais se lembram em relação à faculdade?

Brenda – Gostei muito das pessoas que pude conhecer durante o curso, tanto professores quanto colegas. Também dos desafios que foram propostos, os projetos paralelos dos quais tive a chance de participar. Aprendi a ser uma profissional no mercado de trabalho e agradeço aos meus professores por terem colocado em mim o brilho nos olhos. Eles me deram paixão pela criação. E, isso, em todos os sentidos, não apenas na moda.
Gabriela – O entendimento da parte comercial ajudou e ajuda demais em relação à minha marca. Ter um negócio é bem complexo, tem que gostar muito. Até hoje estou aprendendo as melhores estratégias conforme a marca vai evoluindo. Eu também gostei muito de desenvolver um produto, percebendo, por exemplo, se tem um caimento legal.

 


 

Eu não queria mais sair da faculdade, o Senac tinha virado a minha segunda casa. (…) Agradeço aos meus professores por terem colocado em mim o brilho nos olhos, me deram paixão pela criação. E, isso, em todos os sentidos, não apenas na moda.
Brenda

 


 

O que vocês destacariam em relação a algo que aprenderam e que pode ser inspirador para novos alunos?


Brenda – Aprendi que a criatividade vai muito além dos croquis. Aprendi que a criatividade é algo que precisamos usar todos os dias, em todos os aspectos das nossas vidas para enfrentar os desafios do dia a dia, independentemente da profissão.
Gabriela – Uma dica que eu posso dar aos alunos e futuro alunos de estilismo é que, na maioria das vezes, a moda é vista pelo viés do glamour e dos desfiles. E, sim, moda é isso. Mas vai além. No final, a gente trabalha com vestuário, que é parte de uma empresa como qualquer outra. O que eu quero dizer é que para a pessoa entrar nesse segmento tem que gostar muito e entender de materiais e processos. Precisa saber, por exemplo, como administrar uma marca. Por essa necessidade, eu acho legal a pessoa interessada procurar um curso voltado para negócio, além de ter foco na criação, como é no Senac. Além disso, por experiência própria, posso dizer que a moda é um mercado muito amplo de possibilidades, conforme você vai adquirindo experiência, você vai entendendo o que quer e o que não quer fazer na moda.

 


 

 

Para entrar nesse segmento tem que gostar muito e entender de materiais e processos. Eu acho legal procurar um curso voltado para negócio, além de ter foco na criação, como é no Senac
Gabriela

 


 

Para conhecer o Centro Universitário do Senac, agende uma visita guiada aqui.

Informações sobre o processo seletivo, clique aqui.


Comentários

Comentários