Início Mais Educação Fórum Internacional de Educadores 2021 – Diálogos: Tecnologia como ferramenta de aprendizagem

Fórum Internacional de Educadores 2021 – Diálogos: Tecnologia como ferramenta de aprendizagem

Debate discutiu os impactos dos avanços tecnológicos no processo de ensino-aprendizagem e como essas inovações chegam aos públicos em situação de vulnerabilidade social.

Especialistas trouxeram estudos, pesquisas e projetos que buscam democratizar o acesso e a inclusão na era tecnológica.

 

A segunda mesa de debate do 2º Fórum Internacional de Educadores de 2021 abordou o  papel da tecnologia no contexto do ensino híbrido, principalmente para jovens em situação de vulnerabilidade social.

Participaram do encontro virtual:


Claudio Pinhanez
,
pesquisador da IBM Research e vice-diretor do Centro de Pesquisas em Inteligência Artificial;

 


Romero  Tori
, autor do livro “Educação sem Distância”, professor e pesquisador da Escola Politécnica da USP;

 

 

Patrícia Carnicelli Spadaccini, psicóloga, docente da Fundação CASA e do Programa Aprendizagem do Senac Penha.

 

 

Mediado pela coordenadora pedagógica do Senac São Paulo, Márcia Cristina Fragelli, o debate também reforçou a importância de ressignificar o espaço escolar como lugar de acolhimento e socialização.


T
ecnologia como aliada

 

 

A falta de estrutura para alunos economicamente desfavorecidos ficou ainda mais evidente durante a pandemia, mas vale lembrar que mesmo antes desse período muitos estudantes não conseguiam frequentar a escola pelas mais diversas razões.

Pensando nisso, adaptar o ensino híbrido pode ser uma forma de ajudar aqueles que não conseguem acessar a escola fisicamente, com a responsabilidade de passar a aproveitar ainda mais os encontros presenciais.

O professor Romero Tori aponta caminhos diante dos novos desafios que o ensino híbrido passa a trazer para a educação.

 

 

Na opinião do professor Romero Tori, é necessário trabalhar a presença com suportes tecnológicos que promovam autonomia e flexibilidade, evitando o fenômeno da distância transacional.

Por  isso, é preciso ter clareza de quais objetivos pedagógicos desejamos alcançar para então escolher a mídia mais adequada.

 

 

Ainda segundo Romero, mesmo com toda a evolução tecnológica, o ser humano segue construindo conhecimentos e fixando conceitos da mesma maneira que fazia no século passado.

O  pesquisador Claudio Pinhanez  traz um contraponto interessante sobre as características “extrativistas” das tecnologias baseadas em Inteligência Artificial que surgiram nos últimos 10 anos.

Segundo ele, essa tecnologia é baseada em quantidades maciças de dados que são, na maioria dos casos, coletados sem aceite ou entendimento dos usuários, e com contrapartidas insignificantes.

 

 

Desafios que nos trazem aprimoramentos

A docente do Senac São Paulo, Patrícia Carnicelli Spadaccini, atua desde 2015 com jovens internos da Fundação CASA, onde se depara com uma realidade completamente contrastante àquela desenhada pelos colegas de debate.

 

 

Patrícia falou também da importância da parceria com empresas que possam apoiar jovens em situação de vulnerabilidade, facilitando seu ingresso no mercado de trabalho, mesmo que seu acesso à tecnologia seja limitado.

A mediadora  Márcia  Cristina  Fragelli, coordenadora educacional do Senac São Paulo, trouxe sua contribuição, reforçando a importância da apropriação das ferramentas de aprendizagem como um diferencial, principalmente no contexto de desigualdade.

 

 

Aprender a desaprender

 

 

Patrícia reforçou a importância da reflexão de Claudio, relembrando que, para muitos, a escola também é o único espaço de alimentação, acolhida e socorro.

A docente do Senac São Paulo lembrou também dos desafios enfrentados pelos docentes diante da inesperada necessidade de usar a tecnologia diante das restrições impostas pela pandemia.

 

 

O debate também apontou como é essencial desafiar o aluno e, ao mesmo tempo, manter-se desafiado enquanto docente, ressignificando papéis e aprendendo juntos.

O professor Romero retomou que a autonomia é um dos elementos essenciais para a motivação e para o engajamento.

 

 

Gostou? Assista ao bate-papo completo

Receba um aviso quando as inscrições para a terceira edição estiverem abertas.

O fórum será 100% on-line, e ocorrerá de 22 a 25 de agosto de 2022!

 

 

 

Comentários

Comentários