O que é hemoterapia e como você pode trabalhar na área?

Conheça detalhes dessa área e entenda por que a demanda por profissionais qualificados é crescente.

Hemoterapia: saiba o que é e como trabalhar na área.

A doação de sangue é mais do que um ato de solidariedade e cidadania.  É o ponto de partida de uma ciência que também salva vidas: a hemoterapia.

Você sabe o que é?

A hemoterapia trabalha com a reposição ou remoção dos componentes do sangue humano para utilizá-los de forma terapêutica.

O objetivo é prevenir e tratar casos de distúrbios da coagulação sanguínea, hemorragias e anemias causadas por diversas doenças.

Calma! Não se assuste com os termos técnicos, vamos explicar tudo neste post.

A hemoterapia é usada não só no tratamento de diferentes doenças hematológicas, mas também atua em qualquer outra situação clínica ligada à perda de sangue e seus elementos, como:

  • procedimentos cirúrgicos em geral;
  • tratamentos de quimioterapia;
  • remoção total de volumes de sangue (doações e sangrias terapêuticas).

 



O que são doenças hematológicas?

São aquelas que comprometem tecidos e órgãos responsáveis pela proliferação, maturação e destruição natural das células do sangue — chamadas hemocomponentes (hemácias, leucócitos e plaquetas).
Exemplos: anemias e alterações da coagulação.

 



 

A hemoterapia no tratamento de doenças

A hemoterapia é utilizada no tratamento de diferentes doenças.

Quando uma pessoa sofre de uma doença hematológica, seja hereditária ou adquirida, ela desenvolve uma deficiência na produção ou até a perda dos componentes que constituem o sangue.

As consequências variam desde anemias brandas até graves sangramentos. Para todos os casos, é imprescindível a reposição desses hemocomponentes, uma vez que não há substituto para o sangue humano.

A hemoterapia é utilizada por meio de diferentes técnicas, como a transfusão de sangue.


Hemoterapia e o câncer

Existem também as doenças onco-hematológicas — nas quais o câncer pode provocar anomalias nas células do sangue, no sistema linfático e na medula óssea.

Exemplos: leucemias e linfomas.

Nesses casos, a técnica utilizada é o transplante de Células Progenitoras Hematopoéticas (CPH).

Antes de uma sessão de quimioterapia em altas doses, por exemplo, o sangue do paciente é extraído para coletar células-tronco.

Depois, o paciente recebe de volta uma infusão dessas células para fortalecer sua resposta imunológica ao tratamento.

Além disso, a hemoterapia participa ativamente dos avanços em biotecnologia, atuando em coleta, processamento e transplantes de células-tronco em variadas condições clínicas. Impressionante, né?

Mas quem são os profissionais que trabalham nessa área?

 

Profissional responsável pela hemoterapia

 

Hemoterapia: uma equipe multidisciplinar
Serviços de hemoterapia: equipe multiprofissional composta por técnicos e especialistas.

 

Em geral, os serviços dessa área contam com uma equipe multiprofissional composta por técnicos e especialistas.

O Técnico em Hemoterapia atua nas rotinas do ciclo produtivo do sangue, desde a captação do doador até a transfusão.

Já o Especialista em Hemoterapia atua em atividades mais analíticas de laboratório e gestão da qualidade das rotinas de um serviço de hemoterapia.

 

A seguir, entenda o perfil de cada função:
Tabela - Profissional responsável pela hemoterapia
Tabela – Profissional responsável pela hemoterapia

 



Saiba mais:
Quem atua nesta área também pode trabalhar em laboratórios especializados em sorologia de doadores de sangue e clínicas para transplante de medula óssea, coleta e armazenamento de células-tronco.


 

Atividades de um profissional de hemoterapia e o
Ciclo do Sangue

 

Conheça a atuação do profissional de hemoterapia durante o ciclo do sangue.
Conheça a atuação do profissional de hemoterapia durante o ciclo do sangue.

 

Para que você entenda a rotina de trabalho de um profissional dessa área, vamos considerar, a seguir, o chamado “ciclo do sangue” de um processo de transfusão:

Tabela – Atividades de um profissional de hemoterapia e o Ciclo do Sangue

 

Mercado de trabalho

 

Mercado de trabalho na área de hemoterapia oferece diferentes oportunidades.

 

Uma boa notícia para quem pensa em entrar nessa área.

O setor está sempre evoluindo no país e a demanda por profissionais qualificados é crescente, principalmente com o aperfeiçoamento da gestão de qualidade.

No Brasil, há 32 hemocentros centrais* e mais de 2 mil serviços de hemoterapia*, incluindo hemocentros regionais, núcleos de hemoterapia e unidades de coleta e transfusão.

Em São Paulo, destaque para a Fundação Pró-Sangue, instituição pública ligada à Secretaria de Estado da Saúde do Estado de São Paulo e ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Mensalmente, a fundação coleta e processa cerca de 12 mil bolsas de sangue** para mais de 100 instituições públicas da rede estadual de saúde.

*Fonte: Ministério da Saúde.
**Fonte: Secretaria de Estado da Saúde do Estado de São Paulo


Mudanças na área e a atualização profissional

A área tem passado por muitas mudanças, principalmente diante dos recentes desafios epidemiológicos, como:

  • novas doenças infecciosas com contágio pelo sangue;
  • ressurgimento das DST’s (doenças sexualmente transmissíveis).

Nesse contexto, os processos de hemoterapia estão sempre buscando métodos terapêuticos mais eficazes.

Por isso, o profissional da área precisa sempre estar atualizado (participando de cursos, workshops, jornadas e congressos), para aperfeiçoar sua capacidade técnica e científica.

Fique ligado!

 



Viu quantas novidades?

Seja qual for a sua situação profissional atual, planejando entrar para esta área ou mesmo se querendo se especializar, desejamos muito SUCESSO!

Conheça os cursos na área de hemoterapia do Senac São Paulo


Colaboração:

Anderson Soares, docente de hemoterapia do Senac Tiradentes.

Comentários

Comentários