Curte plantas dentro de casa? 4 espécies que não dão trabalho

Plantas dentro de casa: natureza mais perto de você
Plantas dentro de casa: natureza mais perto de você

 

Quem tem plantas dentro de casa garante: elas têm o poder de mudar o ambiente – e até a saúde das pessoas.

Estar perto da natureza ajuda a revigorar o ânimo, reduzir o estresse e aumentar a sensação de bem-estar, além de gerar benefícios para a qualidade do ar que respiramos.

Na decoração, elas podem deixar tudo mais bonito e cheio de vida.

Mesmo com tantas vantagens, muita gente acha que precisa ter um quintalzão com jardim, uma varanda espaçosa ou muito tempo para cuidar dos seus vasos.

Conheça a seguir dicas básicas que ajudam a escolher as plantas adequadas para você levar um pouco de verde para dentro da sua casa.

Antes de qualquer coisa: sala, escritório ou varanda?

Você só vai fazer a escolha certa se ficar atento à estrutura da sua casa e às condições do ambiente.

Definido o local em que pretende deixá-la – área de serviço, cozinha, sala ou varanda –, verifique:

1 – É um espaço aberto ou fechado?
2-  Qual a luminosidade?
3 – É uma área com sol direto ou apenas claridade?
4 –  Há sombra em alguma parte do dia?

Lembre-se: cada espécie tem sua necessidade, por isso é fundamental considerar essas condições desde o início.

Então, atenção!  A chance de dar errado é grande se deixar uma planta que precisa de sol dentro de um cômodo com pouca luz.


Plantas dentro de casa: confira nossas sugestões

Se sua casa ou apartamento tem alguma área externa com sol pleno, você provavelmente pode ter qualquer tipo de planta, bastando colocá-la em um local que proporcione o que ela precisa (talvez não seja sol direto, e sim meia-sombra ou luz difusa).

Por outro lado, algumas espécies se adaptam bem a ambientes fechados e podem ser a solução para quem gosta de plantas dentro de casa e não se deu bem em tentativas anteriores, muitas vezes por desconhecer suas características.

 

1 – Zamioculca

Plantas dentro de casa: Zamioculca
Zamioculca

Perfeita para ambientes internos, pois não exige muita luminosidade. Ao contrário, o sol direto pode provocar queimaduras nas folhas. De crescimento lento, também é uma boa opção para quem não tem muita prática com plantas, porque é bem resistente e precisa de pouquíssimos cuidados: apenas retire eventuais folhas secas e regue de uma a duas vezes na semana. Mas atenção: é venenosa se ingerida, por isso cuidado com animais e crianças muito pequenas.

 

 

 

 

2 – Árvore-da-felicidade fêmea (Polyscias fruticosa)

 

Plantas dentro de casa: Árvore-da-felicidade fêmea
Árvore-da-felicidade fêmea

Arbusto de fácil manutenção, deve ser cultivado sob pouca luz ou meia-sombra. Também pode ter as folhas queimadas pelo sol direto e não tolera vento, poluição e fumaça de cigarro. O solo deve ser mantido úmido, mas sem encharcar.

Os mais supersticiosos acreditam que, quando plantada no mesmo vaso da espécie polyscias guilfoylei, conhecida por árvore da felicidade macho, atrai sorte e harmonia para os casais.


3 – Lírio-da-paz (Spathiphyllum wallisii)

Plantas dentro de casa: Lírio da Paz
Lírio da Paz

 

Fácil de cultivar em casa, é uma planta de folhas escuras e flores brancas que ficam esverdeadas com o tempo. Não aceita baixas temperaturas nem sol direto – o ideal é receber luminosidade difusa. Deve ser regada duas vezes na semana, de acordo com a temperatura do ambiente. O lírio da paz é tóxico, portanto cuidado para não deixá-lo ao alcance de crianças e animais. 

 

 

4 – Palmeira ráfis

Plantas dentro de casa: Palmeira ráfis
Palmeira ráfis

 

 

Não dá muito trabalho, mas precisa de água (regue 2 ou 3 vezes por semana, sem encharcar). Vive bem em ambientes fechados e fica danificada sob sol direto, mas não a prive totalmente de luminosidade. Deixe-a à meia-sombra, perto de janelas ou varandas, por exemplo.

 

 

 

Resumindo, a chave para ter plantas bonitas e saudáveis dentro de casa é pesquisar. Todas precisam de algum tipo de estrutura e cuidado, cada uma a seu modo e frequência. Não existe fórmula pronta.

Com informação, fica mais fácil respeitar as necessidades de cada espécie e usufruir das delícias de ter um pedacinho da natureza sempre perto de você.

Colaboração: Heloisa Helena Mandolesi Rios, docente do Senac Campinas.

Comentários

Comentários