Conheça as 3 principais profissões da enfermagem

Fica bem mais fácil escolher que carreira seguir nessa área, com informações como perfil, características da atuação e formação.

Profissões da enfermagem: auxiliar, técnico ou enfermeiro?
Profissões da enfermagem: auxiliar, técnico ou enfermeiro?

 

Pense nas profissões da enfermagem. É bem provável que venha à sua cabeça uma pessoa vestida de branco sempre pronta a ajudar.

Quando o assunto é saúde, a enfermagem é uma área que está presente em todas as fases da nossa vida: cuidando do bebê aos avós; das campanhas de saúde aos programas de reabilitação.

Além disso, quem trabalha com enfermagem deve prestar atenção ao princípio da ética e precisa desenvolver atitudes profissionais essenciais como o cuidado humanizado e a prevenção.

Por isso, se você está interessado em atuar nesse mercado, saiba que as funções e responsabilidades dessa carreira dependem de alguns fatores como a formação e o local de trabalho.

As oportunidades na área da enfermagem podem variar para cada categoria profissional (você vai entender já, já), mas de forma geral é um mercado bem amplo.

Como atuar nas profissões de enfermagem?

  • Orientação preventiva;
  • Atendimento geral e de emergência;
  • Atendimentos domiciliar e pré-hospitalar;
  • Equipes de salvamento;
  • Atuação em diferentes especialidades da enfermagem como: geriátrica, pediátrica, obstétrica, cirúrgica e psiquiátrica.

Onde vou trabalhar?

  • Hospitais, clínicas e ambulatórios de especialidades médicas;
  • Serviços de emergência (como Samu);
  • Centros de atenção psicossocial;
  • Instituições de longa permanência;
  • Empresas (enfermagem do trabalho);
  • Atendimento domiciliar (home care), entre outros.

Saiba que todas as funções na enfermagem são regulamentadas e exigem registro profissional para atuação!

 

Confira as 3 principais profissões da enfermagem

Ao escolher a área da enfermagem, você poderá atuar em três categorias fundamentais e diferenciadas, de acordo com a formação e as atividades desempenhadas no dia a dia.

 

Auxiliar de enfermagem

 

Auxiliar de Enfermagem: principal porta de entrada na área.
Auxiliar de Enfermagem: principal porta de entrada na área.

 

Você contará com a supervisão de um enfermeiro ou uma enfermeira.

E também fará atividades e procedimentos básicos, de baixa complexidade, como medidas de conforto e higiene, esterilização de materiais, auxílio a pacientes que passarão por exames ou cirurgias, curativos simples.

Enfim, para trabalhar nessa função, é preciso fazer um curso de qualificação profissional.

Salário: o piso é de 1,5 salário-mínimo em empresas com mais de 20 empregados e empregadas, segundo o Sindicato dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem e Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de São Paulo (SinSaudeSP).

Perspectivas de crescimento:
Quem atua como auxiliar de enfermagem pode complementar sua formação buscando o curso Técnico em Enfermagem, ampliando suas possibilidades de atuação.

Técnico em enfermagem

 

Técnico em Enfermagem: cuidados de média complexidade.
Técnico em Enfermagem: cuidados de média complexidade.

 

Nesse caso também há a supervisão de um enfermeiro ou uma enfermeira.

Você participará, ao lado deles, do planejamento da assistência a pacientes e realizará atividades um pouco mais complexas como coletas para exames, preparação e administração de medicações. A formação para atuar como técnico ou técnica também é de nível médio, mas você precisará fazer um curso técnico profissionalizante.

Salário: de acordo com o SinSaudeSP, o piso profissional é o mesmo do auxiliar (cerca de 1,5 salário-mínimo em empresas com mais de 20 empregados ou empregadas). Porém, na prática, em alguns hospitais, há diferença salarial entre as duas funções.

Perspectivas de crescimento:
As oportunidades de trabalho para técnicos e técnicas de enfermagem são sempre grandes, podendo se especializar em um campo de atuação como a instrumentação cirúrgica e a enfermagem do trabalho, por exemplo.

Quem tiver  pique para mais alguns anos de estudo, pode seguir a carreira, fazendo o curso superior, para atuar como enfermeiro.

 

Enfermeiro ou enfermeira

 

Enfermeiro: coordenação do trabalho de auxiliares e técnicos.
Enfermeiro: coordenação do trabalho de auxiliares e técnicos.

 

Para ser um enfermeiro ou uma enfermeira, o caminho é o diploma de nível superior. Com a formação,  gerenciam os serviços de enfermagem e coordenam o trabalho de auxiliares e técnicos, assistem pacientes de alta complexidade e podem dar aulas de enfermagem.

O enfermeiro ou enfermeira ainda têm boas possibilidades de assumir cargos administrativos e de gerência.

Salário: em São Paulo, o piso varia de 2,5 a 3,5 salários-mínimos, de acordo com o Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo (Seesp).

Perspectivas de crescimento:
Quem atua como enfermeiro ou enfermeira, entre as três profissões, conta com autonomia para exercer todas as atividades da área de enfermagem – como prestar cuidado direto ou como gestor ou gestora.

Por isso, toda instituição que oferece atendimentos de enfermagem precisa, obrigatoriamente, ter um enfermeiro ou uma enfermeira em sua equipe.

Para os que querem investir em determinados setores, existem diversas opções de especialização – gerenciamento, assistência domiciliar, cardiologia, neurologia, dermatologia, etc.

Outras possibilidades para o enfermeiro ou a enfermeira são atuar em processos de auditoria ou seguir a área acadêmica para dar aulas, buscando formação em mestrado e doutorado.

Quem determina – e fiscaliza – todas essas funções são os Conselhos Regionais de Enfermagem (Corens). Lá no site do Conselho Federal, você encontra o Conselho da sua região e mais detalhes sobre essa área.

 

Atualização constante e atendimento humanizado

 

Profissões da Enfermagem: competência e responsabilidade, além de muito carinho e dedicação
Profissões da Enfermagem: competência e responsabilidade, além de muito carinho e dedicação.

 

Apesar das funções e formações serem diferentes, o perfil profissional na área de enfermagem tem algumas características bastante similares.

Inclusive, uma delas é a  necessidade constante de  atualização (como em qualquer área da saúde). Cursos, treinamentos, programas de formação continuada e eventos, como palestras e congressos, precisam estar sempre no radar.

Isso garante que você acompanhe a evolução do setor e trabalhe de forma alinhada às tendências.

Além do domínio técnico-científico, para ter  boa profissionalização em enfermagem precisa:

  • Desenvolver uma visão crítica;
  • Praticar uma atitude empreendedora, sustentável e colaborativa;
  • Trabalhar em equipe;
  • Ter comprometimento e se colocar no lugar da outra pessoa.

Em uma área tão ligada ao cuidado com as pessoas, ter empatia em relação a pacientes e seus familiares é fundamental para oferecer um atendimento humanizado.

É preciso escutar com atenção suas aflições e angústias para, sempre que possível, esclarecer as dúvidas sobre o quadro clínico e o tratamento de forma transparente – e em uma linguagem fácil de entender.

Quem atua como profissional de enfermagem lida com pessoas que geralmente estão vulneráveis, e é parte do trabalho fazê-las se sentir amparadas em um momento de fragilidade.

Lembre-se: o cuidar não se limita a alterações clínicas, ao que pode ser visto e mensurado. Envolve também compreender e acolher sentimentos e emoções de  que é paciente.

 

Empreender ou não nas profissões de enfermagem?

 

Profissões da Enfermagem: diferentes formas de contratação.
Profissões da Enfermagem: diferentes formas de contratação.

 

Você escolhe. Os trabalhos com carteira assinada são os mais procurados no mercado de enfermagem, mas a formação profissional permite atuar de forma autônoma – oferecendo assistência domiciliar ou atendimento em consultório, por exemplo.

Mas atenção! É importante verificar o que determina o Conselho Regional, e se você tem a adequação técnico-científica específica para cada caso.

E então, conseguiu avaliar se você tem afinidade com a área? Não se esqueça: o trabalho com enfermagem exige competência e responsabilidade, além de muito carinho e dedicação!

 

Conheça o curso Técnico em Enfermagem do Senac

 

Colaboração:
Claudia Rodrigues Sanfilippo e Daniela Madruga – docentes do Senac Vila Prudente.

 

 

Comentários

Comentários